Destaques Esporte

Ex-jogador do Esportivo é campeão do Módulo II

Por Ézio Santos/ Especial

1 de dezembro de 2020

PELO FUTEBOL QUE JOGAVA, PAULO DA PINTA CAIU NAS GRAÇAS DOS TORCEDORES DO ESPORTIVO EM 1989. / Foto: Divulgação

PASSOS – O ex-jogador do Clube Esportivo de Futebol (CEF) Paulo da Pinta conquistou no último sábado, 28, seu primeiro título como presidente de uma agremiação de futebol. Na ocasião, o Pouso Alegre FC sagrou-se campeão mineiro do Módulo II, ao empatar por 1 a 1 com o Nacional de Muriaé. No mesmo dia, o Athletic, de São João del-Rei, foi até Betim, e conquistou o acesso à elite estadual após um empate sem gols com a equipe da casa.

Paulo Sérgio Ladeia da Costa, de 56 anos, é natural de Pouso Algre e atuou no Esportivo em 1989, quando o clube era presidido pelo falecido Valcir Marinho Costa. Naquele ano, o técnico do Verdão era o capixaba Jair Félix da Silva, Jair Bala, hoje com 77 anos.

Zagueiro de ofício, mas por vezes escalado como volante durante o tempo em que vestiu a camisa do Esportivo, Paulo da Pinta era bastante querido pelo torcedor por ser um jogador sério, de respeito e bem posicionado em campo. Foi campeão mineiro do interior e disputou o Brasileirão da Segunda Divisão, hoje Série B – o time foi eliminado na fase inicial. O Bragantino, de Vanderlei Luxemburgo, acabou levantando o caneco.

Em 1989, o time base do Verdão era: Roberto Costa; Fronteira, Timoura, Pirapora, Luiz Carlos Bahia; Paulo da Pinta, Edilson, Telo; Ferrugem, Afrânio e Erivelton. “Era um timaço que me recordo com alegria até hoje. Nunca me esqueci de Passos, e lamento os torcedores não terem a volta do futebol profissional como em Pouso Alegre”, comentou o ex-atleta, que além de presidente do Pousão, é empresário do ramo alimentício.

Depois de sua passagem pelo Esportivo, Paulo foi para o Pouso Alegre FC disputar o Módulo I do Mineiro em 1990. Depois, vestiu as camisas da Inter de Limeira e do Criciúma (SC) por cinco anos e meio. No time catarinense, disputou a Copa Libertadores da América e foi campeão da Série B do Brasileirão. Encerrou a carreira como jogador em 1999, no Santa Cruz (RS).

Com o objetivo de reerguer o Pouso Alegre FC, em 2005, começou a renegociar com credores e com Federação Mineira de Futebol a monstruosa dívida contraída pela diretoria anterior, no valor de R$ 2 mi. Vendeu o antigo estádio da avenida Comendador José Garcia e quitou os débitos. Em 2016, foi eleito presidente, e reeleito em 2020 para mais três anos de mandato.

O Pousão voltou a disputar a Segunda Divisão em 2018. No ano seguinte conquistou o título, e, um ano depois, venceu o Módulo II. Agora, será um dos caçulas da Primeira Divisão em 2021. “A partir de hoje (ontem) já estamos pensando na divisão de elite do Mineiro. É reforçar bem o caixa para contratar bons jogadores, porque o nível é bem superior. Diretoria e torcedores nunca mais vão cogitar a possível volta ao Módulo II, tampouco à Segundona”, afirmou.

Campeão simbólico da fase classificatória do Módulo II de 2020, o Pouso Alegre FC sagrou-se campeão do quadrangular com 10 pontos. Na sequência, ficaram Athletic (9), Betim (8) e Nacional, (5). Foram rebaixados à Segunda Divisão do ano que vem: CAP, de Uberlândia, e Mamoré, de Patos de Minas.