Agronegócio Destaques

Estiagem de 2020 pode afetar safra de café na região em 2021

Por Nathália Araújo / Redação

19 de dezembro de 2020

Além da falta de chuvas, bienalidade da produção também pode prejudicar os negócios. / Foto: Divulgação

PASSOS – Produtores rurais de toda a região estão preocupados com os efeitos da estiagem no setor do agronegócio, especialmente na safra de café de 2021. Minas é o maior produtor de café do Brasil. A falta de chuvas, registrada no período entre março e outubro, deve comprometer o desenvolvimento das lavouras, sendo que, naturalmente, a produção já seria menor por conta da bienalidade das safras.

O engenheiro agrônomo Leandro Piza, destaca que a utilização de irrigadores pode contribuir com o processo de evolução das plantas.

É claro que a lavoura depende totalmente das chuvas, mas o mercado está bem forte e as demandas não param de crescer, então o que tenho recomendado aos meus clientes é para que utilizem as ferramentas necessárias e evitem prejuízos. Se o solo está seco, com certeza ele requer mais cuidados; deste modo, o ideal é o uso de irrigadores e a aplicação das substâncias corretas na terra. Quem atua neste ramo sabe que o café necessita de alguns cuidados específicos, por isso é importante cuidar desde já e, assim, evitar prejuízos” orientou o profissional.

Para a técnica em cafeicultura Jéssica Célia Batista de Oliveira, outra medida que ajuda a controlar os efeitos causados pela seca é manter o solo coberto, principalmente nas linhas de plantio.

O mais indicado é que o material seja proveniente da ceifa da braquiária ou de outras chamadas ‘plantas de cobertura’, tais como casca do próprio café ou compostos orgânicos. Com isso, é possível garantir que o solo tenha mais umidade e receba melhor os nutrientes das adubações. Se os produtores tomarem os devidos cuidados, é possível que a falta de chuvas tenha menos impacto nos negócios”, ressaltou.

Marcos Siqueira, produtor rural há cerca de 12 anos, está receoso em relação à próxima safra e, por este motivo, tem comprado mais insumos para as plantações.

Sobre este ano, não tenho reclamações a fazer. Vejo que o café possui uma liquidez muito interessante e, o tratamento adequado pode garantir um bom cultivo, apesar de possíveis contratempos. Mesmo se as condições climáticas melhorarem, acredito que a estiagem já causou alguns efeitos negativos nas plantas. Já tenho investido em bons produtos e, além disso, meu irmão é engenheiro agrônomo e tem me ajudando a entender melhor as condições do solo para que, assim, a lavoura seja farta”, disse o cafeicultor.

De acordo com as previsões climáticas do 5º distrito do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a reversão do cenário não deve ser imediata, visto que as condições podem ser alteradas pela chegada de eventos climáticos inesperados.

A estiagem é acumulativa e neste ano choveu bem menos do que foi esperado. Mesmo assim, devido às características da estação, a tendência é que exista maior precipitação até o começo de fevereiro. Conforme os indicadores, em março, no sudoeste de Minas Gerais, o volume pluvial deve ser superior ao registrado no mesmo período de 2021, sendo o pico do período de chuvoso”, afirmou o meteorologista, Claudemir Azevedo.