Destaques Opinião

Espiritualidade e o Advento

Por Paulo Natir

2 de dezembro de 2020

Católicos do mundo inteiro celebram desde o último final de semana o tempo do advento. De acordo com enciclopédia livre Wikipédia advento é o primeiro tempo do ano litúrgico, o qual antecede o natal. Para os cristãos é um tempo de preparação e alegria, de expectativas, onde os fiéis, esperando o nascimento de Cristo, vivem o arrependimento e promovem a fraternidade e a paz. No calendário religioso esse tempo corresponde às quatro semanas que antecedem o natal.

Para refletirmos mais sobre esse tempo de extrema doçura trago aqui texto de Orlando Brandes, arcebispo de Aparecida (SP). Ele nos fala que a espiritualidade do advento consiste:

Preparar-se para receber Jesus. Arrumar a casa, fazer a faxina, colocar tudo em ordem, abrir a porta do coração. Receber o Deus que vem. Deixa-lo entrar, dar-lhe tempo, escutá-lo, dar lhe espaço. Ele bate à porta. Vem trazer boas notícias, vem para curar, perdoar e consolar. Advento é contemplação, deserto, silêncio, vigilância e muita oração.

Advento é encontro: Com Deus, com os outros, consigo mesmo. Encontrar o Senhor na confissão, na palavra, nos sacramentos, nos pobres, na igreja, nas famílias, nas provações. Advento é penitência, é mudança de vida é conversão. Vamos vencer a rotina, a mesmice, a acomodação e sintonizar com Deus e com os irmãos. Deus nos visita e nos convida a visitar as casas, os hospitais, presídios, o sacrário e participar da novena do natal. O tempo do advento é cura para o stress, a agitação a correria e a impaciência. É cura para a agressividade, a divisão e a briga. Jesus traz a paz e o perdão. É cura para o negativismo, o pessimismo, porque Jesus traz esperança, coragem ânimo. É cura para falta de fé porque nos convida à oração, à participação na comunidade, à leitura da Palavra.

É a cura do medo porque Jesus está no meio de nós, ao nosso lado como amigo, irmão e salvador. É cura dos traumas porque nos traz a certeza que somos amados e perdoados pela paciência e misericórdia do Pai. É cura da vaidade porque Jesus é pobre, simples, desapegado, humilde. É cura das paixões porque Ele nos traz o espírito santificador, a palavra amiga, a amizade verdadeira. É cura do egoísmo que nos abre ao irmão, à solidariedade à compaixão. É a cura da baixa estima porque Jesus se fez carne é igual a nós e nos divinizou.

O advento é um chamado à vigilância, à preparação, à vinda de Jesus para nos levar com Ele e participar de sua glória, entrar na alegria do céu, receber a coroação do bem que realizamos, a encontrar e ver Deus Pai, o Espírito Santo, Maria, os anjos, os santos e todos nossos familiares, amigos e todos que aceitaram a salvação. Não temos aqui morada permanente. O céu é nossa morada, nossa casa, nossa pátria definitiva. Tudo passa, a morte é certa, a hora é incerta, estejamos preparados. Nossas boas obras são a chave e o passaporte para entrarmos na porta do céu. O advento de Jesus será o dia mais lindo de nossa vida. Nós o veremos tal qual Ele é e estaremos com Ele na luz, na felicidade, na alegria e na paz. Vem, Senhor Jesus”. Nesse tempo propício vamos encontrar Cristo na alegria de nossos semelhantes. Fiquem todos com Deus!!!

PAULO NATIR é Jornalista