Destaques Opinião

Escolha um candidato empreendedor

POR CARLOS MELLES

25 de setembro de 2020

Dos 147,9 milhões de brasileiros aptos a votar para os cargos de prefeito e vereador em 2020, muitos escolherão seus candidatos ou candidatas por afinidade política, pela liderança nas comunidades ou pelas propostas para melhorar a qualidade de vida na cidade. Há também quem fará sua opção por alguém cujo principal atributo seja a simpatia ou que faz uma campanha curiosa, entre exemplos de critérios. Essa pluralidade de motivações faz parte da democracia. Nenhum voto é melhor do que o outro. E ninguém tem o direito de impor os nomes que serão digitados na urna eletrônica – do contrário, seria um pleito sem legitimidade.

Nesse quadro, trago aqui, para reflexão, um caminho diferente para ajudar você na hora de decidir seu voto. Pense seriamente em escolher um candidato empreendedor, que poderá ser encontrado no partido da sua preferência ou numa seleção alheia às diferenças entre as legendas. A principal razão para adotar essa ideia é que o empreendedorismo se tornou o principal motor da economia brasileira hoje, com a enorme relevância já demonstrada pelos pequenos negócios, a verdadeira força viva do país. As micro e pequenas empresas estão presentes em 100% dos municípios, representam 30% de toda a riqueza nacional, expressa pelo PIB, e são responsáveis por 54% dos empregos formais. Sem uma recuperação vigorosa dos pequenos negócios não haverá retomada econômica de alcance no pós-pandemia do coronavírus.

Como escolher um candidato empreendedor? O principal requisito é que ele esteja comprometido, claramente, com o crescimento dos pequenos negócios. Isso não quer dizer que o aspirante deva ser, ele mesmo, um empresário de micro ou pequena empresa. A pessoa pode vir de qualquer segmento social – o que importa é o alinhamento com o empreendedorismo. A mais urgente das pautas é a geração de empregos no município, que ocorrerá por meio do desenvolvimento local com base nos pequenos negócios. Não dá para esperar que a crise econômica se resolva com o tempo ou pela mão salvadora do governo estadual ou federal.

Assim, um aspecto fundamental para definir seu candidato é verificar aquele que apresente propostas específicas para a criação de mais postos de trabalho na cidade, com programas e políticas públicas orientados para esse objetivo. Isso inclui a recuperação e a melhoria do ambiente de negócios, mediante desburocratização e facilitação para abertura e manutenção de empresas, bem como apoio a iniciativas voltadas ao aumento da produtividade e a competitividade, mediante capacitação de jovens para o trabalho.

É bem-vindo quem batalhar pelo fortalecimento das vocações do município, em áreas como turismo, agronegócio, indústria ou comércio, diferencial na atração de visitantes ou na venda de produtos típicos da região. Conta ponto também o empenho com o estímulo à prefeitura para que os pequenos negócios da cidade participem mais das compras municipais, contribuindo para fixar a renda localmente. Outra preocupação pertinente é com a inclusão produtiva, em esforço para promover o acolhimento e a capacitação para os que mais precisam, por meio dos Centros de Referência da Assistência Social (Cras).

Para finalizar a lista de predicados sugeridos, seria adequado que o pretendente ao seu voto defendesse a inovação, a evolução tecnológica e a preservação do meio ambiente, incentivasse o cooperativismo para a concessão de crédito e promovesse o empreendedorismo nas escolas. Como denominador comum de todas suas qualidades, ele deve ainda se mostrar capaz de agregar as lideranças locais para que, juntos, trabalhem todos pela prosperidade. É claro que continua a ser critério decisivo o fato de ser comprovadamente honesto e ter ficha limpa, condições obrigatórias na biografia de todo concorrente.

De agora até novembro, haverá grande mobilização em 5.569 municípios – uma excelente oportunidade para que o país coloque as micro e pequenas empresas no centro do debate. O Brasil só tem a ganhar com mais prefeitos, prefeitas, vereadores e vereadoras engajados na causa do empreendedorismo.

CARLOS MELLES é presidente do Sebrae