Destaques Geral

Equipes de encerramento e transição iniciam trabalhos

Por Nathália Araújo / Redação

2 de dezembro de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – As equipes de encerramento e transição já deram início às suas atividades na Prefeitura Municipal de Passos. O principal objetivo é informar os membros da futura gestão acerca de todas as ações desenvolvidas, para que nenhum serviço seja interrompido ou prejudicado. A liberação dos trabalhos se deu a partir da assinatura do Decreto nº 1924/2020.

À frente da equipe de encerramento está Ulisses Araújo Silva, atual secretário municipal de Planejamento – ele ficou encarregado de estabelecer o contato com os representantes dos demais setores.

Percebi que o trabalho tem sido desenvolvido de maneira muito harmoniosa entre os profissionais, e esta boa comunicação torna tudo bem mais proveitoso para todos. A realização deste alinhamento é muito importante, tanto para os profissionais que virão a ocupar os cargos como, também, para a nossa comunidade, porque os serviços da prefeitura não podem parar durante a troca de gestão”, disse.

No caso da comissão de transição, a coordenação ficou por conta de Sandro Lopes Figueiredo Marques, que conta com o apoio dos membros indicados por Diego Rodrigo de Oliveira, prefeito eleito no último pleito. Os nomes que aparecem na relação são: Arlindo Aparecido do Nascimento, Sebastião Domingos da Silva, Pedro Paulo da Silva, Juliano Beluomini, Duarte Antônio Comotti, Élder Rogério Cardoso e Jane Fernandes Hespanhol.

Precisamos saber como está a atual situação da prefeitura, em relação aos trabalhos, projetos e até ao caixa. Deste modo, as comissões atuam de forma integrada para a produção dos relatórios municipais, uma vez que é necessário compilar e analisar os materiais fornecidos pelas secretarias. Ainda temos um longo trabalho pela frente, mas já tivemos acesso aos dados preliminares de setores como: Administração; Cultura e Patrimônio Histórico; Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda; Fazenda; Educação; Esporte, Lazer e Juventude; Planejamento; e outros sistemas que também passam pela transição”, explicou Marques.

De acordo com as determinações apresentadas no decreto, a remuneração para a comissão de transição não pode ser financiada pelos cofres públicos e, caso exista alguma mudança na composição do grupo, esta deve ser oficiada imediatamente, por meio de Protocolo Geral. O documento também estabelece que o acesso a informações de quaisquer naturezas deve ser solicitado pelo responsável pelo grupo. Todos os dados confidenciais devem ser mantidos em sigilo, sob pena de punição de acordo com a legislação.