Destaques Geral

Empresários protestam em Capitólio e apontam retorno às atividades nesta 2ª

8 de abril de 2021

Foto: Divulgação

CAPITÓLIO  – Empresários dos setores de turismo e de academias fizeram uma manifestação, nesta quarta-feira em Capitólio, pela reabertura do comércio considerado não essencial. No ato, realizado às margens da rodovia MG-050, eles também pediram apoio do poder público e afirmaram que não aguentam mais as restrições impostas pela onda roxa e que a situação é de colapso econômico.

Segundo eles, na próxima segunda-feira, as empresas retomarão o funcionamento. Em 2020, o setor de turismo permaneceu fechado por cerca de seis meses e, com a onda roxa, as empresas voltaram a ser penalizadas. Participaram da manifestação representantes da Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Capitólio (Aciac), da Associação dos Empresários de Passeios Náuticos da Ponte do Rio Turvo (Apantur) e da Associação dos Empresários de Turismo de Capitólio (Ascatur).

De acordo com o empresário, Saulo Garcia, que atua no setor de passeios de lancha, a situação é complexa.

Não há negacionismo. Já estamos em crise há um ano. Ficamos seis meses totalmente parados em 2020, fomos muito afetados com a pandemia. Voltamos a trabalhar em setembro e, agora, esse fechamento de 30 dias nos pegou de surpresa. Temos sido muito afetados”, disse.

Segundo ele, com o fechamento total da cidade as pessoas têm ficado sem trabalhar. “E tem muita gente devendo, funcionários parados, sem dinheiro, recebendo cestas básicas, pois não têm o que comer em casa. É um direito legítimo querer trabalhar”, disse. Garcia também afirma que as empresas devem retomar as atividades a partir de segunda-feira. “Chegamos no limite, não dá para retroceder. A partir do dia 12 precisamos abrir”, afirma.

Para Diego Araújo Silva, dono de academia há sete anos, os governantes precisam ouvir os empresários.

As academias ficaram cinco meses fechadas, no último ano. Agora fechamos por mais 30 dias, queremos ser ouvidos. Pedimos que a Câmara Municipal nos ajude. Vai ter uma sessão extraordinária e entre os projetos apresentados está o da abertura das academias e acreditamos que será votado positivamente nos próximos dias”, disse.

Segundo ele, existe o receio de que a onda roxa permaneça até dia 25. “Não temos condições de ficar parados todo esse tempo”, afirma. O empresário afirma ainda que o setor representa risco.

As academias não são foco da covid-19. Temos funcionado, sempre, com todas as medidas de segurança impostas pelo governo. Ficamos 20 dias fechados e os casos só têm aumentado. Queremos voltar para a onda vermelha e o prefeito se mostrou favorável em relação a nossa abertura”, disse.

O prefeito de Capitólio, Cristiano Geraldo da Silva, o Cristiano Gerardão, esteve na manifestação e disse que o Executivo está ao lado dos empresários nas reivindicações.

Conversamos com os empresários, nos colocamos ao lado deles nessa manifestação. Contudo, precisamos de um retorno de forma consciente, com compreensão. Sabemos que as contas estão chegando e que todos precisam trabalhar. Certamente ficamos preocupados com a quantidade de leitos ocupados e internações. Atualmente temos dois pacientes internados na Santa Casa de Piumhi, em estado moderado, e um em Passos, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI)”, afirma. Após a manifestação às margens da MG-050, manifestantes saíram em carreata pela cidade.