Destaques Geral

Empresários percebem aumento na procura por bicicletas

19 de Maio de 2020

PASSOS – Durante o isolamento social para conter a disseminação do novo coronavírus, entre os meses de março e maio deste ano, Passos registrou um aumento de 16,6% em vendas de bicicletas e, 40% em manutenção e produtos do segmento, especialmente pneus e câmaras de ar. Por ser um meio de locomoção individual, o condutor do não precisa tocar em outras superfícies, as quais podem estar contaminadas; mas é necessário dar a devida atenção aos cuidados com a higiene.

Marcelo Machado é empresário do ramo diz que além de ser um passatempo ou exercício físico, a bicicleta também é procurada por ser um meio de transporte econômico. “As pessoas querem uma prática ao ar livre, para melhorar a qualidade de vida e aliviar a mente, que também é afetada pelo momento. Aqui, faço muitos consertos e percebi que as pessoas estão pensando muito na questão financeira, já que ninguém quer pagar o valor da gasolina”, contou.

Do mesmo modo, Wilian Saran possui uma empresa que atua no setor e revela que contratou mais um funcionário para atender a demanda, que se dá por reformas e vendas de bicicletas usadas. “As pessoas não querem bikes novas, mas sim, salvar dinheiro. Percebi que muitos pais procuram pelas reformas para andar junto aos filhos, isso aumentou muito a procura pelo nosso trabalho. Até contratei mais um funcionário, e isso é positivo neste período de desemprego”, declarou.

Antônio Alves e Sérgio Soares também compõem a concorrência deste departamento e afirmam que o mercado do ciclismo parece não sofrer com os impactos causados pela atual crise econômica. Ambos notaram que os números cresceram e que os clientes têm procurado a atividade não só como um esporte, mas como uma estratégia de aliviar a tensão causada pela quarentena.

Embora a orientação seja para que a população se mantenha em casa, a Organização Mundial de Saúde (OMS) publicou em seu site que andar de bicicleta é a forma mais segura de realizar o deslocamento. Além disso, a prática atende ao requisito mínimo de atividade física necessária para manter a qualidade de vida, uma vez que a situação emergencial ocasiona na limitação do acesso ao esporte.

Mais que um meio de transporte, uma prática esportiva

PASSOS – A bicicleta tem ajudado os empresários do ramo a não ficar no sufoco que inúmeros brasileiros têm enfrentado durante o período de isolamento social, mas além disso, tem sido o método utilizado por muitos como meio de transporte, prática esportiva e um passatempo individual ou familiar. Em Passos, é possível perceber o aumento no fluxo de ciclistas, especialmente nos loteamentos, avenidas e até estradas vicinais.

O passense Guilherme Maia comprou uma bicicleta com o intuito de economizar e agora está apaixonado pelo esporte. “Sou autônomo e, com esse momento de forte queda no comércio, acabei substituindo o meu carro pela bicicleta. Agora, além de utilizá-la apenas como um meio de transporte, é também uma ferramenta que uso para espairecer e me exercitar, uma vez que isso se tornou necessário por ficar muito tempo em casa”, disse.

Outro exemplo é Gustavo Henrique Duque, que saiu da capital mineira, onde cursa Direito, e veio passar a quarentena em sua cidade natal para ficar junto da família. “O isolamento aumentou significativamente a frequência em que ando de bicicleta; pratico cerca de três vezes por semana e, nos outros dias, deixo meu corpo descansar. Além disso, procuro sempre usar as roupas e acessórios adequados para a prática”, destacou.

Ainda, o estudante explicou que toma os devidos cuidados para evitar ser infectado pela covid-19. “As atividades físicas aumentam nossa imunidade, mas nunca me esqueço de levar uma garrafa com água, para não me desidratar, e de manter distância dos outros ciclistas. Na verdade, gosto de pedalar em estradas rurais porque sinto mais o clima de aventura e fico distante das aglomerações que, infelizmente, existem dentro da cidade”, revelou.

O representante comercial, Sérgio Gomes Filho, é ciclista há cerca de oito anos e explicou que, no início do isolamento, havia parado de praticar e que agora pedala quase todos os dias. “Vendo que nossa região tem se mantido tranquila em relação ao coronavírus, voltei a pedalar e hoje tenho uma rotina de, aproximadamente, seis treinos por semana. Deixando claro que sigo as principais recomendações dos órgãos de saúde e tenho procurado por estradas longes da urbanização”, esclareceu o atleta.

Ele ainda aponta que o esporte, além de saudável, é muito econômico e prazeroso. “Andar de bicicleta é a melhor atividade que já realizei e, acredito que se tivéssemos mais espaços para praticar, muitas pessoas perderiam o medo de pedalar, o que acontece por conta do trânsito em nossa cidade.”, completou.

Para finalizar, a passense Maria Luíza Frankiln Gomes revelou que é nova no meio e que foi motivada pelas restrições nas academias. “Comecei a treinar há um mês, e uma amiga me levou para passeios fantásticos. Hoje, costumo pedalar entre quatro e cinco vezes por semana e vejo que isso é ótimo para a saúde do corpo e da mente”, concluiu.