Destaques Turismo

Empresários do turismo se preparam para o fim do ano

16 de dezembro de 2020

Locais podem receber até 50% da capacidade de hóspedes, os quais devem fazer o uso obrigatório de máscara e álcool em gel 70%. / Foto: Divulgação

PASSOS – Com a aproximação das tradicionais festas de fim de ano, a procura por hotéis, pousadas e casas de aluguel tem aumentado significativamente nos municípios da região e isso tem agradado os empresários que atuam no setor de turismo. Por conta da pandemia do novo coronavírus, as medidas de segurança em saúde ainda são obrigatórias e, deste modo, os estabelecimentos podem atender até 50% da capacidade de hóspedes, visto que todos devem respeitar o distanciamento social e fazer o uso de máscara e álcool em gel 70%.

Para Carlos Alexandre Cardoso, proprietário de uma pousada e membro da Associação Carmelitana de Eventos e Turismo Urbano e Rural (Asceturis), as comemorações podem ocorrer desde que as orientações sejam respeitadas.

Para a virada do ano, já temos reservas em todos os chalés disponíveis e vamos preparar um evento bem legal, com uma ceia farta e música ao vivo. No entanto, é preciso levar em consideração que temos um espaço bem amplo, as mesas ficarão afastadas e vamos fornecer luvas descartáveis. É claro que não podemos fazer um evento grande e lotado mas, até que a pandemia acabe, podemos trabalhar de acordo com o que foi estabelecido”, disse o empresário.

Em São João Batista do Glória, Paulo Vieira, gerente de um hotel, conta que todos os quartos aptos para receber hóspedes já têm reservas até o mês de janeiro.

Quem fechou o pacote com antecedência conseguiu garantir vaga, mas agora já lotou e toda a equipe já está preparada para realizar um bom atendimento. Muitos turistas fazem questão de apreciar a famosa culinária mineira e, sendo assim, nosso restaurante também tem sido muito procurado, especialmente para o almoço no primeiro dia do novo ano. Desde março, muita coisa acontece e ficamos um bom tempo sem poder trabalhar, então agora temos que recuperar o tempo perdido de modo que surpreenda os nossos clientes”, destacou.

Diferentemente, alguns profissionais que atuam no ramo do turismo estão receosos em relação à demanda prevista para as próximas semanas, como é o caso de Francisco Neto Ferreira, proprietário de uma pousada localizada em Delfinópolis.

A procura aumentou após as Eleições 2020, mas ainda temos muitas vagas. Sabemos que a pandemia ainda não acabou, os casos voltaram a aumentar e isso deixa muita gente preocupada. Não podemos parar porque nossa economia é fraca, mas percebemos uma queda significativa na quantidade de reservas, até porquê o movimento foi bem mais forte no mês passado. Infelizmente, o cenário é complicado e, por isso, nem voltamos a servir o café da manhã”, contou.

De acordo com um levantamento realizado pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH), mesmo com os altos preços impulsionados pela alta temporada, na última semana de 2020, cerca de 60% da rede hoteleira de todo o país deve registrar a ocupação máxima permitida pelas regras de biossegurança.