Destaques Geral

Empresa de ônibus demite funcionários em Paraíso

Por Stéfany Lorraine/Especial

27 de janeiro de 2021

Trabalhadores da JN Empreendimentos, responsável pelo transporte público Paraíso, estão de greve. / Foto: Divulgação

S.S DO PARAÍSO – Trabalhadores da JN Empreendimentos, empresa responsável pelo transporte público de passageiros em São Sebastião do Paraíso, em greve desde as 4h da última segunda-feira, 25, foram demitidos pela empresa. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários, sediado em Passos, Carlos Eduardo Silva, a paralisação foi iniciada por conta de atraso no pagamento do 13º salário dos funcionários, que, até a tarde de ontem, não receberam o 13º e benefícios como o vale-alimentação.

De acordo com Silva, foi convocada uma assembleia com funcionários, que concordaram com a paralisação, segundo ele, e um documento anunciando a greve foi entregue, na semana passada, a um representante da empresa e à Prefeitura de Paraíso. A cobradora Hosana Brás Valério afirma que, desde que está na empresa os salários estão atrasados.

Eu entrei aqui em fevereiro de 2019. Daí começaram os atrasos. Do dia 5, passaram a pagar no dia 10, depois passou pro dia 12”, disse.

O advogado da empresa, Eder Machado Brito, disse que os funcionários estão em seu direito legal de fazer greve, mas que o atraso nos pagamentos não se dá somente por conta da empresa. Eder cita que a concorrência por parte dos mototáxis e motoristas de aplicativos, que não estão regulamentados na lei municipal, assim como o número reduzido de passageiros devido à pandemia. Segundo ele, o não pagamento pela gestão anterior de subsídios à empresa e a falta de licitação são fatores determinantes no atraso dos pagamentos.

De acordo com o prefeito Marcelo Morais, as medidas que cabiam à responsabilidade da prefeitura já foram tomadas e um chamamento emergencial está previsto para o dia 2 de fevereiro. Até lá, São Sebastião do Paraíso permanecerá, por tempo indeterminado, sem transporte público coletivo.


Demissão

A cobradora Hosana afirmou, na tarde desta terça-feira, 26, que o proprietário da empresa, Waldir Teixeira, e o advogado Eder Machado Brito compareceram ao local da greve. Segundo Hosana, Waldir permaneceu em seu escritório enquanto Eder se dirigiu ao presidente do sindicato para comunicar o fechamento da empresa e a demissão dos funcionários.

Hosana afirma que ela e os demais grevistas permanecerão no local, para impedir a saída dos ônibus, e que, apesar de serem comunicados da demissão, nenhum deles assinou nenhum documento. Segundo a funcionária, eles esperam uma posição da prefeitura sobre a situação e que está marcado para esta quinta-feira, 28, a assinatura das demissões. O Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Passos foi procurado para comentar o assunto, mas, até o fechamento desta edição, o jornal não obteve retorno.