Destaques Esporte

Emílio Brandi retira candidatura no Cruzeiro

6 de abril de 2020

BELO HORIZONTE – Emílio Brandi não é mais candidato à presidência do Cruzeiro. Sem acordo com outras alas do Conselho Deliberativo para realização de uma só eleição, em outubro de 2020, e a confirmação do pleito em maio, o integrante do Núcleo Dirigente Transitório confirmou que não concorrerá mais ao cargo.

“Diante deste cenário, com embate político, o Conselho Gestor não terá representante nas eleições. Seguiremos firmes e nossa missão é continuar com as nossas ações para reconstruir o Cruzeiro, e deixá-lo o mais organizado e preparado possível para os próximos desafios. E nosso trabalho se encerrará no dia 31 de maio, véspera da posse do presidente que assumirá o clube”, confirmou.

Além de Brandi, deixarão a administração do Cruzeiro, inicialmente, os empresários Gustavo Gatti, Saulo Fróes, Carlos Ferreira, Jarbas dos Reis e Alexandre Faria; o historiador e bancário Anísio Ciscotto e o advogado Kris Brettas. CEO do grupo, Sandro Gonzalez deverá seguir o mesmo caminho.

Se nenhum novo candidato surgir até o 11 de maio (dez dias antes da eleição), o advogado Sérgio Santos Rodrigues será aclamado presidente do Cruzeiro. Na última semana, o postulante ao cargo confirmou o restante de sua chapa: o primeiro vice-presidente é Lidson Potsch Magalhães e o segundo vice-presidente é Biagio Peluso.

As eleições de maio definirão, inicialmente, um presidente com mandato-tampão até outubro, quando novo pleito terá de ser realizado. Os próprios integrantes do grupo gestor, no entanto, já defendem que o Conselho delibere sobre a possibilidade de uma única disputa em 2020, concedendo ao novo presidente três anos e meio de gestão.