Destaques Música

Em raro momento, Roberto Carlos concedeu entrevista à imprensa

Por Laura Abreu / Especial

15 de abril de 2021

Em raro momento, Roberto Carlos concedeu entrevista à imprensa. / Foto: Divulgação

Roberto Carlos, em um raro momento de sua carreira, aceitou falar com a imprensa. Com cerca de 70 perguntas enviadas por jornalistas do Brasil e de várias partes do mundo, o cantor, que chega aos 80 anos na próxima segunda-feira, 19, respondeu na tarde de terça, 13, a algumas delas, cruzando questões repetidas e enviando uma seleção de respostas. Sua agenda para 2022, “se tudo correr bem com o ciclo da vacinação”, é extensa e inclui uma turnê pelo México, o projeto do cruzeiro Emoções em Alto Mar, um show em sua terra natal Cachoeiro de Itapemirim (ES) e, em seguida, uma turnê pelos Estados Unidos.

Sobre a condição de ainda ser considerado “um rei” na música brasileira, apesar de todas as críticas negativas dispensadas a ele sobretudo nos anos 1980, diz: “Encaro como uma grande demonstração de carinho que recebo das pessoas que me chamam assim e agradeço muito, muito”. Seu caminho musical, diz, não seria alterado em nada se tivesse de fazer tudo outra vez: “Se eu tivesse 17, 18 anos, estaria fazendo o mesmo tipo de música que faço hoje. Esse Cara Sou Eu e Sereia são exemplos disso”.

A respeito das experiências das quais mais sente falta, a energia de seu público nos shows, percebida em sua agenda cheia dos últimos anos, é algo que gostaria de retomar o quanto antes:

Sinto muita falta. Falta do palco, das luzes e, principalmente, da plateia. Quero logo estar de frente ao público, em contato direto com as pessoas, com os sorrisos e os olhares. E com esse amor que recebo no momento em que estou no palco. Sinto falta sim, mas vai passar e daqui a pouco a gente está de volta”.

Roberto fala mais de seus dias em quarentena:

Eu defendo, de verdade, a ciência. A ciência é que realmente pode orientar o povo, o que deve ser feito em relação à vacina, a importância da vacina. Defendo a ciência e tudo que alguém diz em nome da ciência. Me vacinei, estou mais tranquilo e agora estou para receber a segunda dose, mas estou mantendo os mesmos cuidados de sempre. E eu repito: a vacina é muito importante e todos devem se vacinar. vacina sim!!!”, escreve ele, em letras maiúsculas.

E fala com seus fãs em tom sério:

O que eu quero pedir é que levem a sério, que sigam rigorosamente as orientações das autoridades do setor de saúde. Usem máscaras, lavem as mãos, usem álcool em gel, mantenham o distanciamento social o máximo possível e tomem vacina. Isso com certeza vai ajudar muito a acabar com esse problema”.

Se seus 80 anos trazem alguma limitação?

Eu sou, aos 80 anos, o mesmo de sempre e, chegar aos 80 anos, não me assusta porque isso vem acontecendo gradativamente. O importante é que eu me sinto bem e me sinto com menos idade do que a que tenho. Sou um cara com muitos sonhos aos 80 anos”.

O momento de aniversário é sempre um momento de muita reflexão, de se pensar muito na vida, no passado, no presente e no futuro.