Destaques Entrevista de Domingo

‘É impossível não pensar no risco e na atitude heroica dos profissionais’

22 de junho de 2020

Renatinho Ourives concede anistia às multas aplicadas de 8 de abril a 29 de dezembro de 2020. / Foto: Divulgação

No dia 12 de março último, quando o Brasil anunciou a situação de emergência epidemiológica, o prefeito Carlos Renato Lima Reis convocou o secretário de saúde, diretores e coordenadores dos setores de saúde coletiva, vigilância sanitária e demais profissionais da área para uma reunião de emergência a fim de reconhecer o cenário e estabelecer as estratégias.

Foi criado, então, o Comitê Gestor de Enfrentamento ao Coronavírus 19 e, no dia 20 de março, apresentado o Plano Estratégico de Contingenciamento Municipal da Covid19 (PCC covid). A esse trabalho, com ações desenvolvidas à medida que os desafios surgiam, é atribuído o sucesso do enfretamento à pandemia que a cidade de Passos obteve até agora.

Foto: Divulgação

Esse estudo permanece analisando e projetando possíveis cenários futuros para Passos

Nesta entrevista, o prefeito Renatinho Ourives explica como ele liderou esse trabalho, conseguindo conciliar a dedicação dos servidores municipais, representantes dos poderes Judiciário e Legislativo, da Santa Casa de Misericórdia de Passos, do Hospital São José Unimed, da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Polícia.

O chefe do executivo ressalta também o engajamento nesse esforço pelos inúmeros representantes da sociedade municipal, do comércio local, organizações religiosas e associações que têm somado forças à Prefeitura. E foi por causa desse resultado altamente positivo até agora que o prefeito Renatinho Ourives assinou, na sexta-feira, um novo decreto de readequação do funcionamento do comércio. Mas ele adverte: “isso não significa que o problema está resolvido”.

Foto: Divulgação

Folha – Prefeito, como é administrar a cidade em um momento tão difícil como este, de uma Pandemia?

Renatinho – Vivemos um momento em que temos que ter muita responsabilidade. Antes de estar Prefeito, sou cidadão, cristão praticante e também comerciante. Foi muito difícil assinar um decreto em que tive que determinar o fechamento de praticamente todas as atividades econômicas do município, incluindo as atividades comerciais. Além disso, é impossível não pensar também no risco e na atitude heróica dos profissionais que atuam na linha de frente à Pandemia.

Folha – Quando e como iniciou a organização do Município para o enfrentamento à covid19 em Passos?

Renatinho – Assim que o Governo do Estado decretou a situação de emergência epidemiológica, a Prefeitura de Passos convocou, no mesmo dia, 12 de março de 2020, o secretário de saúde, diretores e coordenadores dos setores de saúde coletiva, vigilância sanitária, epidemiologia e de atenção básica, média e de alta complexidade à saúde para uma reunião de emergência a fim de reconhecer o cenário e estabelecer as estratégias que se mostrassem necessárias.

Nesse momento foi criado o Comitê Gestor de Enfrentamento ao Coronavírus 19 e, no dia 20 de março, apresentado o Plano Estratégico de Contingenciamento Municipal da Covid19 (PCC covid). Esse Plano é justamente o documento que registra as 180 ações estratégicas previstas para a prevenção, combate e controle da epidemia no Município e passa por constantes atualizações e reavaliações.

Cada uma dessas ações é ‘startada’ em momentos específicos, de acordo com os índices e riscos epidemiológicos. Entre essas ações vale citar, por exemplo, a criação da Brigada de Enfrentamento, a criação de Barreiras Epidemiológicas, o envolvimento do setor de comunicação e, certamente, a reestruturação estratégica dos serviços de saúde da Atenção Básica (PSF) e de urgência e emergência (UPA) do Município a fim de atender as necessidades da população nesse momento crítico da história humana em que vivemos.

Folha – A que podem ser atribuídos tais resultados e evolução da epidemia no Município?

Renatinho – A explosão no número de notificações em meados de março é uma prova de que a Prefeitura de Passos, juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde, respondeu de forma rápida e objetiva à necessidade imperiosa do momento. Portanto, é certo afirmar que a condição epidêmica do Município está sobre controle justamente em função dessa atitude enérgica e assertiva, tanto dos setores da Secretaria de Saúde, quanto da Procuradoria Geral do Município, que decretou em tempo hábil e com grande precisão, os decretos que estabeleceram e estabelecem as ações estratégicas e diretrizes epidemiológicos e sanitárias necessárias para a prevenção, combate e controle da epidemia no Município.

Folha – Qual a configuração desse Comitê de Assessoramento, ele é composto unicamente por servidores do Município?

Renatinho – Tenho muita segurança e confiança no nosso comitê. Ele é organizado em dois níveis de abrangência. Há uma equipe de servidores municipais composta pelo secretário municipal de saúde e demais profissionais da saúde, os quais apresentam expertise e experiência na área de saúde coletiva, vigilância sanitária e epidemiológica, infectologia, atenção à saúde, monitoramento e análise de dados epidemiológicos, comunicação e suporte jurídico.

Há também a equipe estendida deste Comitê, no qual estão envolvidos representantes da Santa Casa de Misericórdia de Passos, do Hospital São José Unimed, da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e do Batalhão de Polícia. Cabe ressaltar ainda, o apoio e a prontidão do Poder Judiciário e Legislativo do Município que auxiliaram e acompanham todas as decisões e ações desta Prefeitura.

Folha – A que fator pode ser atribuído o sucesso do Município de Passos no enfrentamento à Covid19 quando comparado a demais Municípios da região e do país?

Renatinho – O sucesso do enfrentamento da covid19 em Passos é um fruto advindo do serviço criterioso, preciso e extremamente profissional dos servidores da Secretaria de Saúde, os quais estão envolvidos diariamente no combate a essa epidemia. Estes servidores têm trabalhado de domingo a domingo, avaliando caso a caso, com ações precisas e imediatas e investigações criteriosas para garantir à população uma resposta rápida e atualizada.

É importante ressaltar que os profissionais da Secretaria de Saúde estão cumprindo com o seu compromisso de trabalhar intensamente em prol do Município, porém, é de suma importância que a população reconheça a responsabilidade e a necessidade de se envolver nessa luta e cumprir com todas as determinações que visam, antes de tudo, a saúde e o bem-estar de toda a nossa população.

Nesse sentido, por exemplo, é imprescindível salientar a importância do uso de máscaras, uma ação simples, mas que tem se mostrado como uma das principais formas de prevenção e combate à dispersão do vírus em todo o mundo e que foi prontamente imposta pela Prefeitura de Passos. Fato que, certamente também influenciou de forma positiva nossa condição atual.

Folha – Então, isso significa dizer que Passos conta com uma estrutura e ações estratégicas de ponta, em comparação com países mais desenvolvidos?

Renatinho – Certamente, além da equipe extremamente profissional e aplicada, a Prefeitura conta ainda com uma grande quantidade de testes rápidos disponíveis, o que permitiu inclusive a testagem de todos os servidores da saúde que estão na linha de frente do enfrentamento à covid19, para além dos casos suspeitos e contatos próximos.

Também vale ressaltar que os decretos municipais têm seguido criteriosamente as decisões técnicas do Comitê, sem deixar de considerar, contudo e na medida do possível e da segurança pública, as demais necessidades do Município, tal como as necessidades do setor produtivo e a flexibilização de tais decretos. A oferta de leitos clínicos e de UTI pelo Município também é um fato invejável quando comparado a demais realidades que temos observado no país e no mundo, além de contar com o Hospital de Campanha Otto Krakauer que está pronto para ser ativado a qualquer instante, caso a nossa condição epidemiológica exigir.

“Compartilho com a sociedade e a população a responsabilidade de vencer esta guerra juntamente conosco”

Folha – A Prefeitura de Passos possui algum estudo de previsão epidemiológica para o município?

Renatinho – Sim, o monitoramento epidemiológico constante tem sido uma das principais ações estratégicas prevista no Plano de Enfrentamento à Covid19. Até o fim de maio o Departamento de Epidemiologia já havia reunido informações históricas o suficiente para possibilitar essa avaliação e previsão, sendo que no dia 30 de maio foi executado o primeiro estudo de projeção futurística específica para o nosso município.

Os resultados deste estudo conseguiram prever com grande exatidão os números de notificações, casos positivo, casos recuperados, hospitalizados e óbitos para os próximos 15 dias. Devido a esse sucesso, esse estudo permanece analisando e projetando possíveis cenários futuros para Passos, o que também tem sido considerado durante o processo de tomada de decisões.

Folha – Os setores produtivos do município têm se envolvido de alguma forma no enfrentamento à Covid19 em Passos?

Renatinho – Sim, inúmeros representantes da sociedade municipal, do comércio local, organizações religiosas e associações têm somado forças à Prefeitura nesta luta que envolve todos nós. Essas parcerias trouxeram ao Município doações de extrema importância, tal como, testes rápidos e EPI em um momento no qual todos sabemos que aquisição de trás produtos é algo que enfrenta demasiada dificuldade não só no Município de Passos, mas, em todo mundo.

Folha – Para finalizar, Prefeito, o que o senhor considera necessário para mantermos a pandemia sob controle em nosso município, além de todas as ações citadas acima?

Renatinho – Precisamos manter a humildade e a união. Sermos humildes em reconhecer que não existe uma solução pronta para o que estamos vivendo. É preciso que a população entenda que a responsabilidade é coletiva. Recomendo a todo o momento que a população não afrouxe as medidas de prevenção, utilização de mascaras, higiene das mãos, distanciamento social e principalmente a não aglomeração.

O fato de o novo decreto readequar o funcionamento do comércio, não significa que o problema está resolvido. Apenas que, como gestor municipal, compartilho com a sociedade e a população a responsabilidade de vencer esta guerra juntamente conosco. Afinal nem tudo o que é permitido, convém.