Destaques Dia a Dia

É Gostoso Ouvir “ Vôôô, Vóóó!

22 de julho de 2020

No calendário brasileiro durante o ano temos as datas para homenagear nossos Núcleos Familiares: dia das Mães e Pais, mas há também um dia especial a ser lembrado, a data em que se comemora o dia dos Avós, 26 de julho, ou seja, domingo próximo.

Esse dia foi escolhido para homenagear os pais de Maria, Mãe de Jesus, Santa Ana e São Joaquim, Avós de Jesus Cristo que são considerados padroeiros dos Avós pela Igreja Católica. Comemorar esse dia é fazer com que nós, que já somos Avós, possamos cada dia mais olhar o mundo com os olhos do coração envolvendo as vidas de três gerações. Temos o prazer de passar uma fase da vida cheia de satisfação e diversão com os netos sem ter a mesma responsabilidade que se tem quando é Pai. Ser Avós é rever o passado, abraçar o presente e ajudar a vislumbrar o futuro para os Filhos e Netos, e não adianta querer mostrar que somos mestres na educação, porque o tempo passa, o estilo de vida e a educação mudam.

Eu, Avô, que na minha infância transitei por um passado cheio de limitações, com poucas brincadeiras produzidas entre Netos e Avós, hoje procuro estar sempre junto de meus Netos, de suas brincadeiras e seus assuntos, manter a cabeça mais jovem, com mais paciência, passando a eles os ensinamentos das coisas boas e também das ruis que esse mundo atual, digital, moderno e desafiador nos oferece. Temos nos dias atuais muitas histórias para contar aos Netos a respeito de coisas que existiram e que hoje são extintas, e junto a eles vamos relembrar os tempos passados de um modo engraçado e interessante.

Hoje, neste mundo de tanta tecnologia, tantos meios de comunicação, os Avós de tempos idos como eu, encontram – se na trincheira entre esses dois mundos. É necessário acompanhar a evolução dos tempos, aprender com os Netos a realizar coisas como acionar uma tecla, um botão, e ver no computador um mundo em nossa frente. Participar com eles da linguagem digital da internet, celulares, mensagens instantâneas… Mas tudo isso pode ser compartilhado, numa convivência boa e na troca de conhecimentos e experiências, e essa relação se desenvolve quando os Netos dispõem a dedicar aos Avós sua atenção. Aí, sempre proporcionamos a eles muita alegria ao ouvir momentos marcantes ocorridos no decorrer de nossa vida.

No imaginário popular, já dizem há tempos que os Avós são como “Segundo Pais”. Só que os Avôs se tornam Segundo Pais, com mais experiência e sabedoria, menos exigentes, mais doces em suas brincadeiras, e nesses momentos a gente volta a ser criança, ressurgem lembranças que podem ter ficado esquecidas na infância, e que, no meu caso ganham forma junto às minhas Netas: Ana Teodora, Sofia, Mariana, Melissa e Beatriz, o Neto sapeca José e o meu Neto companheiro de caminhada, Alex Junior. Junto a eles encontro a oportunidade de viver uma fase diferente, uma experiência maravilhosa, tendo o privilégio de brincar com eles, de resgatar algumas brincadeiras de nossa infância, contando casos e histórias, curtindo momentos especiais, trazendo de volta os sabores da infância. A ligação entre Netos e Avós é um elo que acontece naturalmente sem esforço nenhum.

É comum escutar de Netos alguns segredos, fazendo de nós, seus cúmplices em suas artes, sabendo que com os Avós sempre “pode tudo”. Quando estamos juntos a eles, arrumamos tempo para curti-los, brincar, conversar, fazer bagunça, e essa bagunça é o preço que os Avós pagam para ter os Netos por perto! Nós, Avós, vamos abraçar com todo amor e carinho os Netos, contar a eles nossas melhores histórias, falar de nossos antepassados, curiosidades sobre os que nos antecederam, não importa a idade dos Netos, o que vale mesmo são os ensinamentos compartilhados e repassados de geração para geração.

Enfim, Avós são aqueles que aconselham sem nada cobrar, sem nada exigir, são confidentes que só mostram o caminho da verdade, sendo dos Netos cúmplices, parceiros, amigos, companheiros a qualquer hora e tempo. Avós, vamos aproveitar e curtir essa fase vendo essas novas vidas, os frutos de nossos frutos desabrocharem! É o tempo passando e a gente “Memoriando”!