Destaques Política

Dr. Aquiles faz prestação de contas

8 de janeiro de 2021

O secretário de fazenda, juliano beluomini, e o prefeito de passos, Diego Oliveira. / Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – O candidato derrotado a prefeito de Passos Aquiles Grintaci, que concorreu nas últimas eleições, realizou a prestação de contas final da sua campanha. Conforme a Folha havia divulgado em 17 de dezembro, sua campanha ainda não havia apresentado a documentação até no momento de fechamento daquela edição.


Você também pode gostar de:

Veículos são furtados em barracão

Nesta quinta-feira, 7, foi apurado que a entrega foi realizada junto à Justiça Eleitoral às 19h36 do dia 15 de dezembro último e em levantamento realizado pela reportagem, o custo médio por voto coloca o médico como o candidato que menos gastou nas Eleições 2020 em Passos.

De acordo com Aquiles Grintaci, a prestação de contas foi apresentada pela sua contabilidade de forma final, o que é previsto pela legislação. “Fizemos tudo certo”, disse o candidato que obteve 10.718 votos, 21,62% do eleitorado, apenas 2.698 votos a menos que o eleito Diego Oliveira.

A campanha do PT, do candidato Juarez Moreira, foi a que teve o maior custo médio por voto, levando em conta o total gasto informado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) dividido pelo número de votos obtido nas urnas, cálculo que não tem ligação alguma com compra de votos. Desse modo, o petista gastou R$47,18 por voto por ele recebido.

Em seguida, Alexandre Maia (DEM), gastou R$25,29, seguido de Andre Patti (Republicanos), que gastou R$22,26. Capitão Virgínio Leopoldino (PMN) aparece com R$21,58, o eleito, Diego Oliveira (PSL), investiu R$11,63 em cada voto que o levou à vitória. Já Rodrigo Maia (Podemos) gastou R$11,04.

Com apenas R$0,23 de Dr. Aquiles (Avante), a Campanha do 70 para prefeito de Passos foi uma das mais baratas do Brasil, além disso, segundo o próprio candidato, o partido não usou o fundo eleitoral (dois bilhões de reais que são dados aos partidos políticos para propaganda eleitoral).

Nossa campanha também não sujou as ruas com santinhos, não participou do horário eleitoral e também dispensou as inserções de propagandas em rádio e televisão, não lançando mão do sagrado dinheiro público que deve ser destinado exclusivamente para o bem da população e não para gastos eleitorais”, finalizou Aquiles.