Destaques Do Leitor

Dois pontos

8 de janeiro de 2021

Dois lances interessantes é que no começo dos mandatos dos vereadores e prefeito, anteriores a este, um dos objetivos dos mandatos, dado o momento histórico (pós-golpe) – era a ‘contenção de gastos do estado’, ‘parar a roubalheira’, ‘cortar gastos públicos’, buscar recursos ‘e cortar diárias’, e blá-blá-blá, e teto de gastos e etc, e cortar, e enxugar, e conter, e guardar, retirar dali pra por ali para ajudar na devolvida de recursos e ‘economizar’ e etc.
Os representantes naquele momento, e aqui cito o presidente da câmara passada no exercício da presidência nos últimos dois anos, o Dr Rodrigo Maia, e o ex-prefeito Renatinho que, juntos, devolveram ou deixaram uma bolada razoável para o prefeito atual, ou para a cidade.

A Câmara então quebrou recordes na devolução e o prefeito saiu de um buraco para uma montanha – já que começou o mandato em calamidade financeira – foi o primeiro ou um dos primeiros decretos que assinou. Enfim, se a principal missão era essa, dentro do quadro perceptual dos homens públicos daquele momento, e não era prioridade absoluta desenvolver nada, construir nada (e era também – sempre será), e já que estávamos e estamos em plena regressão mental geral, foi cumprida em parte a parte do segura peão – que era um problemão, ou a parte do estancar a sangria, ou do ajeitar a casa e devolver recursos, e claro que a coisa pública é muito mais que isto.

E não estamos dizendo do que poderia ser feito com essa grana, e muita coisa importante poderia ter sido feita, e nem dizendo que as casas estejam arrumadas. Outro caso interessante é o dos decretos. O prefeito atual fez valer o decreto do prefeito passado que o próprio fez ‘desvaler’. Então o prefeito passado que tem relação forte com a associação comercial, aliviou, e aí o prefeito atual – que não tem nada com isso ‘desaliviou’ e acabou que ‘fez valer’ o decreto do prefeito anterior anulando-o com um novo decreto, o atual. Achei interessantes essas duas coisas, uma para finalizar e outra para começar o ano.

Ricardo Piantino – Passos/MG


Contágio

Depois de todas as muvucas de final de ano, as próximas já estão agendadas para este janeiro. Sem falta, em todos os hospitais, com ou sem condições de atendimento…

Fernandes – São Paulo/SP