Destaques Moda

Desfiles virtuais precisam de ajustes

POR WAGNER PENNA / Especial para a Folha

28 de setembro de 2020

A atriz Erika Januza foi embaixadora da feira virtual Brasil Digital Fashion Week. / Foto: Divulgação

Nos lançamentos de verão 2021 (realizados em pronta-entrega), nos meses de agosto e setembro, algumas marcas brasileiras seguiram a trilha das grandes grifes internacionais e mostraram a sua nova moda em desfiles virtuais.
A idéia é boa e abrangente, mas sua execução não foi tão positiva. Nem precisa comparar com o que foi feito pelos grandes nomes internacionais, pois eles investem milhões de dólares para fazer apenas um filme promocional. Mesmo comparado com que muitas marcas nacionais, incluindo algumas mineiras, já tinham feito antes, o trabalho deixou a desejar.

Embora o mercado virtual tenha se habituado com blogueiras improvisando fotos quase infantis ou mesmo donas de confecções se transformando em modelos eventuais, quando se entra na dimensão de vídeos, há muito mais a se aprender, cuidar e criar. Uma oportunidade perdida para mostrar coisa bacana. Vamos ser um pouco mais criativos. Amém!

VAIVÉM

A feira virtual Brasil Digital Fashion Week, que aconteceu na semana passada, teve palestras (lives) interessantes e vendas pela internet. Foi a primeira edição do assunto e teve boas adesões das marcas mineiras. A musa e embaixadora do evento foi a atriz Erika Januza. O sucesso levou a turma que preparou o evento (Doopla Collab e Romano Comunicação) a começar os trabalhos para a segunda edição.

E por falar em feiras de moda, o Salão Casamoda, em São Paulo, foi marcado para o periodo de 11 a 13 de novembro. O evento é presencial e volta para o Hotel Unique – sua casa de sempre. À frente da feira, a Duda Ferreira e o Alexandre Cerqueira. O povo da moda no plano internacional vai entrando no social. A saber: o dono da Farfetch (português José Neves) criou fundação para distribuir bolsas de estudos aos seus compatriotas. Uma ótima idéia – que custou 5 milhões de euros.

PONTO FINAL

O circuito chamado ‘modest fashion’, isto é, desfiles só para mulheres que não podem mostrar o corpo por questões culturais eou religiosas (mulçumanas, por exemplo) vai recomeçar seu roteiro em março. De Londres a Jacarta, passando pelo Oriente Médio, o auge da temporada é em Dubai. Riqueza pura!