Destaques Economia

Delfinópolis prevê receita de R$ 100 mi na safra de banana

Por Ézio Santos / Especial

4 de julho de 2020

Foto: Divulgação

DELFINÓPOLIS – Os produtores de banana de Delfinópolis estão otimistas em relação à safra 2019/20. A estimativa da receita é de aproximadamente R$ 10 milhões a mais que a anterior (R$90 milhões), de acordo com a Associação dos Produtores de Banana de Delfinópolis e Região (Adelba).

O engenheiro agrônomo, agricultor e diretor-secretário da entidade, Sávio Marinho, de 60 anos, revelou que, atualmente, 150 produtores cultivam uma área de banana da espécie prata-anã de 3.740 hectares, sendo 3.600 em produção e 140 ainda em formação. A produtividade média está em torno de 23.500 quilos por hectare e a estimativa para a safra 2019/20 é de uma produção de 84 mil toneladas no valor de R$ 98 milhões. Na safra passada, foram 3.550 hectares de área cultivada, 80 mil toneladas de produção e o faturamento chegou a R$ 90 milhões.

Graças a Deus, apesar desta pandemia, o plantio e os cuidados com as lavouras de banana, além da produção da fruta, estão de vento em popa. Nada tem prejudicado os plantadores que têm zelado principalmente pela saúde dos trabalhadores, mantendo o protocolo da saúde para se evitar o contágio da covid-19. Há distanciamento de funcionários no transporte, deixando em casa os que pertencem ao grupo de risco, oferecendo máscaras facial e álcool em gel. No agronegócio em geral, tudo caminha muito bem para termos mais uma excelente safra também de soja, cana-de-açúcar, café e milho” afirmou Marinho.

A bananeira rende frutos de janeiro a dezembro, mas, em certos períodos, depois da primeira safra, a próxima produção é duplicada. Como é de origem tropical e um alimento bastante perecível, a colheita e acondicionamento dos cachos requerem cuidados e rapidez, principalmente no transporte até os revendedores e os consumidores.

Nossa produção é levada para os grandes centros e cidades menores dos estados de Minas, São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. As vias de escoamento da safra são através da estrada de terra que liga ao município de São João Batista do Glória ou pela rodovia entre Delfinópolis e Cássia, mas interrompida pela travessia por balsas no Lago de Peixoto”, explicou o agrônomo.

Delfinópolis é o primeiro produtor de bananas das regiões sul e sudoeste de Minas Gerais, o segundo colocado do estado, atrás apenas de Jaíba, à frente de Nova Porteirinha, Janaúba e Matias Cardoso. No município de Cássia, há cerca de dez cultivadores da fruta. São Paulo lidera o ranking nacional por estado, seguido da Bahia e Minas.