Destaques Geral

Curso capacita produtores para operar máquinas

14 de junho de 2021

senar capacita trabalhadores rurais em SANTO ANTONIO DO MONTE

PASSOS – O Sistema Faemg/Senar/Inaes segue com a missão de capacitar os trabalhadores rurais para atuarem com os novos equipamentos. O curso de Colhedora Automotriz de Grãos é um desses exemplos. Na Regional do Sistema em Passos, essa capacitação foi realizada no município de Santo Antônio do Monte, no mês de maio.

Os quesitos segurança pessoal, do maquinário e do meio ambiente são questões abordadas na capacitação para que todo o processo de colheita possa transcorrer em respeito às leis, conforme a Norma Regulamentadora NR 31. Boas práticas e primeiros socorros também são estudados. Outra parte do curso recai sobre a manutenção do maquinário, atividade essencial para manter a qualidade da produção e a preservação do equipamento.

O Sistema Faemg/Senar oferece duas modalidades para a capacitação. A primeira delas em curso de 32 horas para treinamento e aperfeiçoamento da manutenção e regulagens. A segunda em curso de 48 horas/aula com a operação da colhedora automotriz de grãos no campo realizando a colheita.

“As duas opções de curso facilitam para o produtor se programar, pois o treinamento pode ser realizado na entressafra”, disse o instrutor Fernando de Paula.

Na prática

Para o produtor de milho, Alexandre Henrique de Oliveira Santos, o curso foi essencial para que ele e mais dois funcionários pudessem operar a máquina com segurança. Proprietário da fazenda Santa Lúcia ele planta milho em 25 hectares e para a sua colheita adquiriu uma máquina de pequeno porte, com capacidade para colher seis hectares por dia. Segundo Alexandre, no futuro ele poderá prestar serviços com o maquinário para produtores da região.

“Apesar de semelhantes, cada colhedora tem o seu sistema de trilha e separação específico. Os ajustes e regulagens são fundamentais para uma colheita perfeita, sem danos mecânicos aos grãos, material mais limpo, livre de impurezas e com o menor índice de perca possível”, ressaltou Fernando.

Segundo o instrutor, os produtores acompanham muito bem o avanço da tecnologia e a manutenção é extremamente necessária, pois os equipamentos, de acordo com a sua potência, exigem investimentos de até R$ 4 milhões. Apesar do valor ele destaca que o investimento é quitado, muitas vezes, na primeira colheita diante de tantos benefícios que proporciona com a colheita mais rápida e eficaz.