Destaques Esporte

Cuca é oficialmente o novo técnico do Atlético Mineiro

6 de março de 2021

Técnico, campeão da Libertadores 2013, aceitou convite para retornar ao clube após sete anos. / Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – Depois de buscar no mercado um substituto de Jorge Sampaoli, e até mirar mais em Renato Gaúcho, a diretoria do Galo foi atrás de um outro plano e viu no técnico campeão da Libertadores 2013 o nome ideal, diante das circunstâncias do mercado, para o acerto. Aos 57 anos, volta ao clube mineiro após sete anos.

Na última terça-feira, houve reunião entre a diretoria do Atlético e o staff do treinador, que se encontra em Curitiba cuidando de assuntos familiares – principalmente da internação da mãe, que se recupera de Covid-19. O ge adiantava um desfecho positivo no encontro. Cuca retorna ao Atlético para um contrato de dois anos, com possibilidade de ampliação até dezembro de 2023.

A comitiva de Cuca é formada pelos auxiliares Cuquinha (seu irmão) e Eudes Pedro. O Atlético contratou também Cristiano Nunes para fazer parte da equipe de preparadores físicos do clube. Cristiano havia se desligado do Internacional, e é mais um ex-profissional do Colorado que chega ao Galo. Antes, foram o diretor Rodrigo Caetano, o analista de mercado Alessandro Brito e o coordenador da base Erasmo Damiani.

Cuca estava livre no mercado após deixar o Santos, com trabalho bem avaliado no clube mineiro, principalmente pelo vice-campeonato da Libertadores 2020. Inclusive, Cuca recebeu gancho de dois jogos na Conmebol – pela expulsão na final em confusão com Marcos Rocha, e precisará cumprir a pena sob o comando do Atlético. Juntos, Cuca e Atlético venceram dois títulos do Mineiro, além da máxima glória da história do clube na Copa Libertadores. Em dezembro de 2013, com o terceiro lugar no Mundial de Clubes no Marrocos, Cuca decidiu sair do Atlético, após proposta milionária da China (Shandong Luneng).

No Atlético, Cuca ficou entre setembro de 2011 e dezembro de 2013. Fez 153 jogos no comando da equipe principal, com 80 vitórias, 34 empates e 39 derrotas. Depois da despedida no Galo, foi para o Shandong Luneng (2014-2015), e voltou ao Brasil para treinar o Palmeiras em duas vezes. Foi campeão brasileiro em 2016. Voltou ao Santos em 2018, deixou o Peixe no fim da temporada para ser substituído por Sampaoli, trabalhou no São Paulo em 2019 e estava no time da Vila Belmiro entre agosto de 2020 e fevereiro de 2021.