Destaques Esporte

Cruzeiro quer contratações e time mais forte no 2º turno

27 de outubro de 2020

O técnico Felipão disse que aguarda reforços para melhorar o rendimento do clube no segundo turno da Série B do Campeonato Brasileiro. / Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – Depois de anunciar uma negociação para pagamento da dívida com a Fifa, o Cruzeiro, agora, espera a liberação para poder voltar a registrar novos jogadores. O técnico Felipão disse que aguarda reforços para melhorar o rendimento do clube no segundo turno da Série B do Campeonato Brasileiro.

“Muita coisa para consertar e, por isso, aceitei a situação de voltar ao Cruzeiro, porque o presidente me apresentou projeto para este ano, para o ano do centenário e para 2022, como é que nós podemos fazer juntos esta integração de grupo de atletas e clube para que a gente saia desta situação em que fomos colocados. Acho que, na semana que vem, (os diretores) estarão trabalhando em outras áreas, em reforços, vamos formar equipe mais forte para no segundo turno não correr estes riscos que estamos correndo agora”, disse Felipão.

Com o empate com o Náutico por 1 a 1, o Cruzeiro permaneceu na 18ª posição, com 17 pontos. Considerada favorita na Série B, a equipe vive um drama e corre risco de cair para a terceira divisão do futebol nacional. O fato positivo é que o técnico Felipão ainda não perdeu no comando do time – venceu o Operário (1 a 0) na estreia e empatou no último domingo.

O Cruzeiro conta com dois jogadores à espera de regularização: os meias Giovanni, ex-Coritiba, e Matheus Índico, ex-Estoril-POR. Eles já treinam no clube há algumas semanas. A punição de não registrar novos jogadores foi imposta pela Fifa ao Cruzeiro no início de setembro em função de um débito com o Zorya, da Ucrânia, pela aquisição dos direitos econômicos do atacante Willian, em 2013. Na última semana, a direção celeste conseguiu quitar a dívida de cerca de R$ 7 milhões com ajuda de um patrocinador, além de resolver pendências com o atacante Ramón Ábila (R$ 716.729,09) e o técnico português Paulo Bento e seus auxiliares (R$ 454.358,75).


Chances

Sem reação efetiva em campo, o Cruzeiro mostra, a cada rodada, que o objetivo do clube será permanecer na Série B. Enquanto a probabilidade de acesso é mínima, o risco de queda ainda é considerável. Segundo o Departamento de Matemática da UFMG, a Raposa tem1,1% de chance de voltar à Primeira Divisão do futebol nacional no ano que vem. O número é parecido com os cálculos do ‘Infobola’, que estima 1%.

A UFMG diz que um clube com 63 pontos tem mais de 99% de probabilidade de conseguir o acesso. Para chegar a esta pontuação, o time celeste precisa de 46 pontos em 20 jogos. Hoje, o Cruzeiro soma 17 pontos, na 18ª posição da Série B. O risco de rebaixamento do Cruzeiro é bem mais alto. A UFMG estima que a probabilidade de queda da Raposa é de 44%. O ‘Infobola’ não calcula esse dado. De acordo com a UFMG, um clube que chegar a 47 pontos tem apenas 0,1% de risco de cair para a Série C.