Destaques Esporte

Cruzeiro prioriza laterais e deixa atacantes em ‘stand by’

11 de Maio de 2020

Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – Visando a sequência da temporada de 2020 e, principalmente a volta para a elite do futebol brasileiro, Enderson Moreira, juntamente com Carlos Ferreira Rocha (gestor do futebol) e Ricardo Drubscky (diretor de futebol), vêm usando o tempo de parada de jogos por conta da pandemia da covid-19 para analisar o mercado e as principais carências do atual elenco cruzeirense. A prioridade, neste momento, é a busca por um lateral direito e outro esquerdo.

Na esquerda, Dodô é o nome que surgiu, inicialmente, com prioridade. Mas a complexidade da negociação, que envolve até discussão na Fifa, dificultou a reativação do contrato. O clube já trabalha com outros nomes. Já no lado direito, Enderson Moreira já deu pistas que a busca é por um nome com quem ele já trabalhou. Nino Paraíba, atualmente no Bahia, já foi descartado pelo clube celeste. Já Daniel Guedes é um nome na lista, mas há detalhes que dificultam o negócio.

Patrick Brey, lateral esquerdo de origem, será repatriado pelo Cruzeiro de Enderson Moreira. Entretanto, o jogador deverá ser aproveitado pelo treinador da Raposa como uma opção para o meio de campo, como atuou no último ano pelo Coritiba e, no começo de 2020, na Ferroviária-SP.
Já nas outras posições, Enderson Moreira acredita que, a princípio, o Cruzeiro não precisará de reforços com certa urgência. Primeiro, o treinador quer observar quem ele tem à disposição no momento, vivenciar os treinamentos coletivos (quando isso for possível), para depois pedir contratações.

O ataque, um dos setores mais questionados pela torcida no início de temporada, o staff da Raposa considera o elenco possui muitas peças, neste momento. Atualmente, tem Marcelo Moreno, Thiago, Judivan, Vinícius Popó, Alexandre Jesus, Welinton e Jhonata Robert.

A prioridade do Cruzeiro nas negociações que serão feitas futuramente, é buscar atletas por empréstimo, de preferência em clubes maiores, a custo zero e com compartilhamento de pagamento de salários, como já foi o caso neste ano com Jean e Ângulo cedidos pelo Palmeiras, Marllon cedido pelo Corinthinas, Jhonata Robert e Fillipe Machado emprestados pelo Grêmio, e Everton Felipe, pelo São Paulo.