Destaques Esporte

Cruzeiro enfrenta o Confiança em Sergipe

24 de agosto de 2020

Lateral-direito esteve afastado dos gramados por 11 meses devido a uma suspensão por doping. / Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – Após sofrer a sua primeira derrota na Série B, para a Chapecoense, o Cruzeiro já foca no próximo duelo, contra o Confiança. A partida será no domingo, 23, às 18h, no Batistão, em Sergipe. A Raposa encontrou o Confiança apenas duas vezes antes, pelo Brasileirão, em 1976.

Apesar da derrota por 1 a 0 contra a Chape, Enderson Moreira, técnico do Cruzeiro, avaliou positivamente o desempenho.

Na nossa forma de trabalhar, a gente não fica nem comemorando demais as vitórias, nem lamentando demais as derrotas. Foi a primeira derrota da equipe, mas, na minha forma de enxergar o futebol, é uma situação que acontece com todos. A gente tira muitas lições, mas não fica remoendo isso”, disse.

Em relação ao jogo que está por vir, Enderson se mostra animado com a perspectiva de sair com um bom resultado.

A gente espera sempre dar o nosso melhor, para o próximo jogo com certeza vamos elaborar uma estratégia vencedora e esperamos levar mais pontos para casa”, disse.

O Confiança está em 18º lugar, com duas derrotas e um empate. O técnico Matheus Costa terá problemas para escalar a equipe nos próximos jogos. Artilheiro do time na temporada, com sete gols, o atacante Mikael sofreu uma lesão muscular na derrota para o Cuiabá, na última quarta-feira, 19, e vai ser desfalque na partida contra o Cruzeiro.
Nos duelos entre ambos os clubes, ocorridos em 1976, a Raposa levou a melhor, com vitórias por 2 a 0, no Mineirão, e por 3 a 0, no Batistão, em Aracaju.

Daniel Guedes

Novo reforço do Cruzeiro, o lateral-direito Daniel Guedes passou por um longo período afastado dos gramados. Ele foi suspenso por doping em setembro de 2019, quando ainda defendia o Goiás. Agora no clube mineiro, o jogador tem dado ênfase à sua forma física para voltar a atuar. Em entrevista aos canais oficiais da Raposa, Daniel Guedes disse que passa por uma preparação rígida para melhorar o condicionamento. No entanto, ele pediu tempo para estrear com a camisa celeste.

Isso não depende de mim, depende da comissão técnica, da preparação física. É óbvio, 11 meses sem atuar não são uma semana, um mês… É quase um ano sem poder voltar aos gramados, então precisa de um tempo, uma preparação rígida até para não sentir tanto. Vai ser impossível não sentir nos primeiros jogos, mas eu acredito que, em mais em alguns poucos dias, eu já estarei em forma física para poder pegar ritmo de jogo com o grupo”, avaliou.