Destaques Esporte

Cruzeiro é condenado pela Justiça a pagar empresa que fez gestão de crise

22 de julho de 2021

Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – A juíza Flavia Poyares Miranda, da 28ª Vara Cível da cidade de São Paulo, condenou o Cruzeiro a pagar R$420 mil à empresa Press FC, além de correção e honorários de advogados (R$500 mil no total), por serviços não pagos durante a gestão de crise do escândalo envolvendo o ex-presidente Wagner Pires de Sá, o ex-vice de futebol Itair Machado, e o ex-diretor-geral Sérgio Nonato, entre outros.

A reportagem apurou que houve insistência por parte da Press FC para tentar resolver o problema fora da Justiça. Encontros foram marcados e houve discussão de uma possível forma de pagamento, mas sem acordo. A empresa esperou cerca de um ano antes de judicializar o caso. Em contato com a reportagem, a Press FC preferiu não se manifestar. Procurado, o clube celeste ainda não se posicionou.

Wagner e Itair Machado aceitaram pagar R$380 mil à Press FC – duas parcelas de R$40 mil e outras dez de R$30 mil – para gerir a crise que eles mesmos criaram, de acordo com investigação da Polícia Civil e do Ministério Público. O valor pode ser considerado alto para um clube que já atrasava salários e enfrentava dificuldades financeiras, com débitos com funcionários e na Fifa.

Após reportagem do Fantástico, da TV Globo, em maio de 2019, sobre os possíveis crimes praticados pela então diretoria do Cruzeiro, a empresa Press FC foi contratada pelo clube. No dia 27 de maio, o jornalista Fernando Mello, sócio da empresa especializada em gerenciamento de crise, esteve na Toca da Raposa II para assessorar Wagner e Itair durante um pronunciamento. Naquele dia, Mello ficou na primeira fileira de cadeiras da sala de imprensa. Ele esteve presente durante todo o pronunciamento, que durou cerca de uma hora. Nos momentos mais quentes da coletiva, Itair se correspondeu por olhares com o jornalista.