Destaques Esporte

Cruzeiro deve pagar R$3,3 mi para Fred

23 de julho de 2020

Juíza possibilita parcelamento da dívida; clube pode recorrer da decisão. / Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – A Justiça determinou o pagamento total – com possibilidade de parcelamento – da dívida do Cruzeiro com o atacante Fred, em outro processo movido pelo atacante contra o clube, este relativo a direitos de imagem. Na ação, o valor acordado da causa é de R$ 2,49 milhões. Com juros, multas e correções, o montante chega a R$ 3.354.726,07.

Em 15 de julho, a juíza Maria Clara Lousada Figueiredo, da 19ª Vara Cível de Belo Horizonte, determinou ao Cruzeiro o pagamento total da dívida com Fred em três dias ou de forma parcelada em até seis vezes (com juros de 1% e correção monetária). No segundo caso, o clube deve depositar um sinal de 30% do valor a R. Chaves Empreendimentos Futebolísticos, empresa responsável pela administração dos direitos de imagem do centroavante.

Depois do comunicado da Justiça, o Cruzeiro tem o prazo de 15 dias para oferecer embargos, questionar a determinação ou iniciar o pagamento da pendência de forma parcelada. A juíza autorizou penhora caso o clube não comece a pagar a dívida ou não recorra judicialmente.

Os valores dos direitos de imagem foram acordados em 22 de dezembro de 2017, quando Fred retornou ao Cruzeiro após encerrar passagem pelo Atlético-MG. O total de R$ 2.490.000,00 seriam pagos em 20 parcelas mensais, com o primeiro vencimento estabelecido para 20 de março de 2018. Na ação, a empresa que representa Fred reclama que apenas parte da primeira parcela foi paga pelo clube – R$ 113.108,25 de R$ 124.500,00. Um acordo amigável não foi aceito pelo Cruzeiro, segundo o reclamante.

Em outra ação na Justiça, o Cruzeiro fez uma contestação ao processo movido por Fred na 1ª Vara do Trabalho de Belo Horizonte. No documento anexado também no dia 15 de julho, o clube solicitou a reativação por discordar de todas as alegações do jogador à Justiça, especialmente em relação a uma cláusula compensatória de R$ 50 milhões.

A defesa da Raposa, em antecipação à audiência agendada para sexta-feira, 31, ainda pediu que o ex-vice-presidente de futebol Itair Machado e o ex-presidente Wagner Pires de Sá fossem incluídos como responsáveis solidários no imbróglio envolvendo o centroavante e o Atlético-MG.

Em fevereiro deste ano, Fred acionou o clube na Justiça pedindo rescisão indireta do vínculo de trabalho por atrasos de salários, férias e FGTS. Em maio, o camisa 9 teve retorno anunciado pelo Fluminense.