Destaques Literatura

‘Crônicas de Quarentena’ é lançado em Passos

30 de janeiro de 2021

Foto: Site EBC

Com a organização da professora do curso de Letras, Michelle Aparecida Pereira Lopes e do jornalista, e aluno do curso de Letras João Gustavo de Oliveira a obra literária ‘’Crônicas de quarentena: reflexões sobre o isolamento social’ foi lançada na última quinta-feira, 28, em Passos, pela editora Letraria, de Araraquara(SP). Os interessados podem acessar e baixar gratuitamente em https://www.letraria.net/cronicas-de-quarentena/.

De acordo com Michelle, a obra, em formato de e-book, tem 91 páginas, nas quais trazem 11 crônicas que falam sobre as experiências durante a quarentena, que foram escolhidas a partir de um chamamento feito na Universidade do Estado de Minas Gerais (Uemg) – Unidade Passos.

Nesta coletânea de crônicas, encontram-se narrativas particularmente reflexivas. Em cada uma delas, um pequenino lenimento. Algumas histórias são permeadas por diálogos entre personagens que vivenciam o mesmo que nós vivenciamos; outras são fluxos de consciência desencadeados por este momento tão particular da história de cada um de nós. Nossas crônicas tratam de questões sociais e familiares, desencadeiam emoções e despertam contemplações primorosas sobre nossa vida durante a pandemia. Assim, que nestes tempos de isolamento, encontremos na arte nossa melhor companhia. Que ela seja o bálsamo capaz de cicatrizar algumas de nossas fissuras abertas neste tempo; que ela seja o lenitivo para nossas almas cansadas; que ela seja o refrigério para nossos pensamentos preocupados; que ela nos traga em meio a tudo isso um momento de conforto”, disse a organizadora.

O prefácio foi escrito por Fernando Salomon Bezerra e participam da coletânia estudantes da Uemg de Passos e os convidados Helton Lucinda Ribeiro e João Pedro Menezes Jacinto. Ainda conforme Michelle, o pensamento dos organizadores era no sentido de que todos estão vivenciando aquele que talvez seja o ano mais difícil de nossas vidas e que todos são entusiastas da arte e acreditam que ela não só imita a vida, mas também ajuda a salvar nos momentos em que a vida se torna angustiante e sofrida, tal qual agora.

Quando a pandemia chegou, trouxe mais do que limitações às nossas ações cotidianas, envolveu-nos em uma nebulosa de informações inicialmente desencontradas e números assustadores, atiçou-nos uma progressão constante de preocupações com nossa segurança sanitária, com nossa família e amigos, com nosso trabalho. Em contrapartida, a ausência de decisões governamentais que nos causassem o mínimo de segurança e de salubridade, associada à inexistência de uma vacina capaz de conter um vírus tão devastador fez nossos planos para 2020 desmoronarem; vimos nossas esperanças serem lançadas precipício abaixo. Nossos corações tão bruscamente partidos lá no início deste ano, meses depois, permanecem sangrando. A cada estatística apresentada, a cada morte anunciada, a cada nova contaminação revelada, uma gotinha a mais de sangue se esvai. E de gotinha em gotinha, seguimos nos esvaziando: dos mais de 150 mil mortos, só no Brasil até o momento em que este texto foi escrito – foram-se pais, mães, irmãos, avós, tios, sobrinhos, primos, amigos de infância e de faculdade, colegas de trabalho e de escola, tantos vizinhos, diversos conhecidos”, explicam os organizadores.

O e-book está disponível de forma gratuita no site da livraria e traz 11 crônicas que refletem o período da pandemia. / Foto: Divulgação