Agronegócio Destaques

Crise do café no início dos anos 90 facilitou na criação da Adelba

4 de julho de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – A história da bananicultura em Delfinópolis iniciou-se em 1993. Procurou-se a cultura como alternativa de cultivo ao café, que na ocasião estava com preços muito baixos, pouco mais de 40 dólares a saca. Em outubro de 1993, a partir da iniciativa de nove produtores da Emater e da prefeitura, uma área de aproximadamente 20 hectares foi plantada.

O começo foi muito difícil, como é normal no início de qualquer atividade, anteriormente nada havia de fruticultura comercial no município. Também não se contou com nenhum incentivo governamental. Dificuldades ocorreram também na comercialização e no domínio da tecnologia. Entretanto, algumas características de Delfinópolis favoreceram a atividade que, a partir deste início modesto, transformou-se no principal componente da agropecuária municipal. Além da banana, os cultivos de soja, milho, cana, café e as pecuárias de leite e de corte, são segmentos importantes da economia rural local”, contou Marinho.

O dirigente da Adelba revelou ainda que a entidade foi criada para desenvolver a atividade e defender os interesses dos produtores. O município é hoje o segundo maior produtor de banana do estado, com potencial para se tornar o primeiro em alguns anos e se transformou em referência estadual no setor, sendo comum receber visitas de produtores de outros municípios, estudantes de agronomia, técnicos e realizar consultas por telefone, e-mail e demais meios de comunicação.

É também uma das praças de coleta de preços pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Universidade de São Paulo (USP), que divulga boletim semanal com as cotações das principais regiões produtoras do Brasil. A Emater realiza o Frutifica Minas no município desde 2011, ininterruptamente.