Destaques Dia a Dia

Crendices populares

26 de junho de 2020

O medo do desconhecido sempre povoou a imaginação do ser humano desde a antiguidade. Influenciadas pelas histórias, as pessoas se tornavam escravas das crendices e superstições.

Se uma coruja piava em cima do telhado era sinal que o dono da casa morreria em breve. O canto da ave era o chamado para a grande viagem. Verdade ou não, assim que a coruja piava dizia-se que era o começo do choro dos que ficavam, por aquele que partia!

Se um galo cismasse de cantar fora de hora, acreditava-se em duas coisas: se na família houvesse moça solteira, podiam vigiar de perto, porque a donzela estava prestes a fugir de casa. Na pior das hipóteses, se ela não fugisse, poderia morrer virgem. O meio de cortar o mal pela raiz, era matar e cozinhar o galo antes das seis da tarde e servir a crista cozida, às jovens solteiras da casa.
Se uma galinha cantasse como galo era mau agouro. Deveria ser sacrificada e jogada em forma de cruz em cima da casa, só assim o perigo era afastado.

Uma crendice sobre beija-flores, me faz recordar os tempos de criança: se um desses pássaros tivesse as penas pretas e entrasse em casa era sinal de azar e se tivesse a cor verde era boa sorte.
Na casa de meus avós havia muitas flores, que se alastravam pelas paredes, atraindo grande número de borboletas e colibris. Sentada à janela eu observava…Vez em quando um entrava em casa. Alvoroçada, avisava logo:

-Vó, vem ver o beija-flor aqui na sala!

-Minha Nossinhora, Maria, põe sentido! Ispia se é verde ô preto!

Mesmo quando era pretinho, eu, sabendo das superstições dela e sem acreditar que um passarinho tão bonito fosse azarento, sem querer alarmá-la dizia:

-É verdim que nem a fôia do bambu, Vó!

-Grazadeus!- Dizia ela. Indo em paz cuidar dos afazeres.

Segundo os antigos, a cauã é uma ave das mais agourentas que se tem notícias. Ao ouvir seu canto, deve-se rapidamente fechar três janelas ou tirar três brasas do fogão. Se a Pessoa tiver coragem ainda pode dizer:

-Se for alma penada, vá para o céu e deixa os outros aqui na terra. A ave cauã pode até responder cantando:

-No céu vou te esperar…

Nota sobre acauã: Seu canto dá origem ao seu nome “acauã” e é repetido seguidamente durante alguns segundos. No folclore amazonense, diz-se que os gritos da acauã prenunciam a chegada de forasteiros. Já em Minas Gerais, prenunciam a morte de um conhecido.

MARIA MINEIRA é escritora. Esta e outras 52 histórias fazem parte do livro: “Ao Pé da Serra- Contos e Causos da Canastra”.