Destaques Política

Convenções definem candidatos à Prefeitura de S. S. do Paraíso

Por Ralph Diniz / Especial

15 de setembro de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

S. S. PARAÍSO – O cenário para a corrida aos cargos de prefeito e vice de São Sebastião do Paraíso está cada vez mais definido. As convenções partidárias realizadas até o último final de semana apontam que cinco ou seis candidatos devem disputar as duas cadeiras do Poder Executivo paraisense no próximo dia 15 de novembro.

Dois vereadores, um advogado, dois produtores rurais e até um ex-prefeito que protagonizou diversas polêmicas com servidores, com a Câmara e até com a Santa Casa – e que renunciou ao seu mandato enquanto tentava a reeleição – foram escolhidos durante as convenções partidárias para a disputa ao cargo máximo do Executivo municipal.

A primeira coligação a oficializar os seus candidatos foi a “Transparência e Eficiência, Paraíso vai Funcionar”, formada pelo Partido Social Cristão (PSC), Progressistas, Republicanos, Solidariedade, Patriotas, Cidadania e Partido Socialista Brasileiro (PSB). No início do mês, o grupo indicou o nome do vereador e ex-presidente da Câmara Marcelo Morais para prefeito, e o do médico Daniel Tales para vice.

Na sexta-feira, 11, o também vereador Valdir do Prado, eleito quatro vezes para o Legislativo, teve o nome escolhido para encabeçar a chapa da “Coligação Nova Opção”, formada pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT) e pelo Partido Social Democrático (PSD). O advogado Sebastião Geraldo de Pádua será o candidato a vice-prefeito do grupo.

Na mesma data, o Partido dos Trabalhadores (PT) definiu em sua convenção que o advogado Ubirajara Thiago Medeiros Ferreira será o seu candidato a prefeito. Sua companheira na disputa pelo Poder Executivo municipal será a ativista dos direitos dos animais Zuleide Clementoni.

Já no sábado, 12, e no domingo, 13, nas convenções do Partido Social Liberal (PSL), Partido da Mulher Brasileira (PMB), Partido Republicano da Ordem Social (PROS), Podemos e Avante, foi decidido que o produtor rural Rafael Bananinha será o candidato a prefeito da “Coligação Mudar é Possível, Avante Paraíso”. Esta será a segunda candidatura de Rafael, que recebeu 5.756 votos nas eleições de 2016. Neste ano, a candidata a vice do grupo será a advogada Daiane Andrade.

Enquanto isso, o grupo da situação, liderado pelo ex-deputado federal Carlos Melles e pelo atual prefeito de São Sebastião do Paraíso, Walker Américo Oliveira, decidiu apoiar o engenheiro e produtor rural Gender Brigagão Alcântara na disputa pelo cargo de chefe do Executivo municipal. O vice da chapa será o atual vereador Paulo César Tatuzinho. A “Coligação Pelo Bem de Paraíso” é formada pelo Democratas, Partido Liberal (PL), Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) e Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB).

Entretanto, nenhum outro nome causou tanta surpresa e questionamentos quanto os de Rêmolo Aloise e de seu filho Daniel Mendonça, que chefiaram o Poder Executivo paraisense entre janeiro de 2013 e setembro de 2016, mas acabaram renunciando aos cargos de prefeito e vice, respectivamente, durante a campanha eleitoral em que tentavam a reeleição.

No início da última semana, Reminho e Mendonça encaminharam ao presidente da Comissão Eleitoral do Movimento Democrático Brasileiro (MDB) em Minas Gerais, Adalclever Ribeiro Lopes, comunicado informando a intenção de concorrerem aos cargos de prefeito e vice nas eleições deste ano. O documento, então, foi enviado à presidência da Comissão Provisória do partido em São Sebastião do Paraíso, que aprovou o nome dos dois médicos em convenção realizada na manhã de sábado, 12.

A aprovação da candidatura de Reminho, entretanto, é considerada pouco provável, uma vez que a prefeitura de Paraíso teve as contas do exercício financeiro de 2015 rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais. Esse fato, de acordo com a legislação eleitoral, torna o ex-prefeito inelegível pelo período de oito anos.