Destaques Lingua Portuguesa

Comunicação: a diferença entre escutar e ouvir

18 de julho de 2020

Todos sabemos que os animais comunicam entre si. Os que são treinados conseguem demonstrar de alguma forma, vontades próprias. O principal mote de comunicação dos animais é o alimento. Um cachorrinho faz qualquer peripécia em troca de um prêmio, ou seja, um petisco. Mas, para isso, ele precisa ser treinado, como já foi dito.

Qual é a principal diferença entre a comunicação humana e a dos animais? No caso dos animais, eles não aguardam uma resposta em sua comunicação. Não há trocas em suas transmissões porque as mensagens são objetivas e não derivam de outras mensagens.

No nosso caso, não há nenhum ser humano que não precise de interação social para a sua sobrevivência. Suponhamos que uma pessoa que gosta de ser solitária, viva trancada em casa e é autodidata. Bom, em primeiro lugar, ela precisa se alimentar. Para isso, vai ter que se comunicar com outro ser humano de alguma forma. Todavia, você pode estar se perguntando: “e ser for um sujeito isolado em uma floresta?”. Neste caso, ele precisou se preparar de alguma forma para chegar a esse ponto, portanto, usou a linguagem. Em segundo, quando mencionamos sobre o uso de uma linguagem, o autodidata necessita dos livros e se os lê está em processo de comunicação. Enfim, o ser humano sem outros seres humanos é praticamente um nada.

Em uma convivência social considerada padrão, a comunicação com exatidão é impossível justamente por conta dos limites de cada pessoa. Por isso, a perfeição em uma rede de troca de mensagens só acontece quando há a ponderação daquilo que é justo. Assim, precisamos ter nessa capacidade comunicativa, a consciência de que necessitamos sempre prestar a atenção no outro, tendo um mínimo de domínio sobre o uso de nossa linguagem.

Assim, a nossa comunicação necessita de diálogo para ser real. Dialogar é conversar. Conversar é reciprocidade. Para isso, é preciso saber escutar. Escutar é diferente de ouvir porque quem escuta, põe mais atenção no outro. Por exemplo, estou ouvindo barulho de carros, motos, vizinho com música feia, latido de cachorro, mas a minha atenção está aqui neste texto. Portanto, escutar é reconhecer o contexto do outro, pois vem do Latim “auscultare” que significa “ouvir com atenção”. Ouvir vem de “audire”, do Latim também.

E é preciso deixar claro que reconhecer não é, necessariamente, concordar com tudo, pois o RE vem do Latim e significa “outra vez” e CONHECER vem do Latim “cognoscere” (saber ou saber juntos). RE + COGNOSCERE (reconhecer) resultou, dessa maneira, em “tomar conhecimento, trazer à mente de novo”. Depois disso tudo, pergunto: como está a sua escuta?

PROF. ANDERSON JACOB ROCHA. Doutor em Língua Portuguesa. Autor do livro: A Linguagem da Felicidade. Instagram: @prof_andersonjacob. Youtube: Prof. Dr. Anderson Jacob