Destaques Geral

Comitê estuda elaboração de plano para pessoas de rua

20 de junho de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS — O Comitê Intersetorial da População em Situação de Rua, em Passos, estuda a elaboração de um plano municipal de políticas públicas para os moradores de rua. Conforme a coordenadora do comitê, Cláudia Stockler, além do plano, o grupo tem levantado propostas para auxiliar aqueles que não aderiram ao serviço de acolhimento provisório da prefeitura.

Em relação ao plano municipal de políticas públicas, Cláudia Stockler explicou que, no município, existem muitas iniciativas privadas que são voluntárias às questões relativas à população em situação de rua, por esta razão, o estudo deve garantir que tais iniciativas estejam sempre alinhadas aos serviços do poder Executivo.

Sabemos que existem muitas ações voluntárias na cidade, então, queremos alinhá-las ao Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua (Centro Pop), pois este é o principal objetivo do nosso comitê: formar um elo entre a prefeitura e os serviços públicos oferecidos por diferentes entidades privadas. Com a ação, poderemos elaborar o plano municipal abrangente, o qual será baseado no plano nacional e no estadual”.

Cláudia lembrou, ainda, que o início do projeto ocorreu em outubro do ano passado, quando, em audiência pública, o Comitê Intersetorial da População em Situação de Rua foi apresentado a todos os serviços voluntários oferecidos em Passos. Apesar de ser pensado desde o ano passado, o plano precisou ser interrompido em razão da pandemia do novo coronavírus e foi necessário voltar a atenção ao serviço de acolhimento provisório e emergencial.

Agora, nas próximas semanas, vamos fazer reuniões para determinar subcomitês, cada grupo terá um temática para avaliar a situação municipal e, posteriormente, elaborar o nosso plano”, completou.

Com a criação do projeto municipal de políticas públicas, também poderão ser evitadas ações particulares que diferem das orientações do Executivo. A exemplo, cita-se a recente distribuição de barracas a moradores em situação de rua.

Neste período de pandemia, foi criado o serviço de acolhimento provisório. Atualmente, o município acolhe, no ginásio poliesportivo Elzo Calixto Mattar (Barrinha), de 13 a 23 homens, eles recebem alimentação no Centro Pop e voltam ao ginásio, porém, no momento que começaram a distribuir barracas, houve um certo tumulto, os que estavam abrigados, queriam sair para ganhá-las, então considero um trabalho um tanto quando do contra, uma vez que tentamos oferecer um lugar digno, com alimentação, e este tipo de ação acaba os dispersando. Tudo poderia ter sido discutido e conversado, e é isso que queremos, que as pessoas interessadas em ajudar venham até nós, unidos criaremos este plano”, considerou.

Quanto a não adesão ao serviço de acolhimento provisório, a coordenadora informou que diariamente as equipes do Centro Pop orientam a população em situação de rua.

Há serviços contínuos de orientação, todos os dias falamos com eles, mas a decisão deve partir deles, como garante a legislação”, finalizou.