Destaques Esporte

Com restrições, alunos de academia de Alpinópolis voltam aos treinos

Por Ézio Santos / Especial

13 de Maio de 2020

Foto: Divulgação (Agência Brasil)

PASSOS – Aos poucos, os alunos do Centro de Treinamento Fight Lira de Alpinópolis tentam retomar a rotina dos treinamentos neste período de pandemia. O mestre e fundador da academia, David Lira, de 37 anos, elaborou um sistema de treinamento que oferece aos atletas toda segurança e conscientização sobre o contágio em relação ao coronavírus durante as aulas de judô, cross fight, muay thai, jiu jitsu, MMA e personal fight.

Para total proteção dos alunos são oferecidos álcool em gel em pontos estratégicos do centro de treinamento, pano umedecido com água sanitária e obedecendo distanciamento exigido entre os esportistas que têm a temperatura aferida antes de adentrarem na área de combate. Cada praticante possui uma ficha para anotar as observações. Para garantir segurança e a saúde os alunos há as opções de aulas presenciais ou online em razão de treinamento com grupo reduzido.

A semente foi plantada há alguns anos e isso vem demostrar a forca do esporte em aproximar as pessoas e torná-las melhor. Neste caso, o judô abriu as portas para estes jovens que, com dedicação e disciplina, estão subindo degraus dentro e fora dos tatames. Seguindo essa filosofia, o centro de treinamento se solidariza a outras tantas academias que, pelo inconveniente desta pandemia, estão fechadas. Enquanto as coisas não voltam à normalidade, só nos resta torcer e lembrar sempre dos nossos objetivos”, enfatizou o professor de artes marciais Júlio Mattar.

A maior glória de um professor é sentir que os seus alunos se tornaram grandes homens. Em 2015, iniciamos com uma turma de judô infantil tendo como supervisor e mentor nosso sensei Júlio Mattar. As crianças sempre animadas aprendiam além da arte do judô, também princípios que fazem com que a sociedade tenha mais homens de virtudes. João Pedro Morais de Souza tinha 12 anos, Ryan Oliveira Lira, 10; Gabriel Luiz Freire Torres, 12; e João Pedro Freire Faria tinha 12 anos. Hoje já são adolescentes”, ressaltou o mestre.

Lira possui graduação faixa preta em muay thai, segundo nível, marrom em kickiboxing, roxa em jiu jitsu e faixa amarela em judô. Como atleta, conquistou o 2° lugar no Gala Fight de muay thai, campeão Mineiro de kickiboxing, campeão do Centro Mineiro Oeste de jiu jitsu e campeão de k1. Na função de treinador, obteve diversos títulos no muay thai, MMA, jiu jitsu levando os atletas a serem campeões mineiro, brasileiro e mundial. Ao lado de Júlio Mattar é membro do quadro de árbitros da Associação Brasileira de Arbitragem de Lutas (ABAL).

Antes da pandemia, a academia promoveu vários eventos esportivos como a 1ª e 2ª edições da Copa Mestre Lira de Muaythai & MMA, Campeonato Interestadual de Muay thai e Campeonato Sul Mineiro de Jiu Jitsu. Todos beneficentes através de arrecadação de alimentos que foram repassados à Apae alpinopolense”, contou Mattar. “Temos um projeto dentro da academia onde parte da nossa renda é voltada para ações sociais”, completou.

NO CENTRO, O MESTRE LIRA COM OS ALUNOS JÁ ADOLESCENTES,
E HÁ CINCO ANOS QUANDO AINDA ERAM CRIANÇAS. / Foto: Divulgação