Destaques Geral

Com queda de 40% na vazão do Bocaina, Saae pode racionar

Por Ézio Santos / Especial

7 de outubro de 2020

O ribeirão Bocaina, onde se localiza a mais antiga estação de captação de água, está no limite mínimo de vazão. / Foto: Arquivo FM

PASSOS – A pandemia do novo coronavírus, a estiagem prolongada e o calor intenso têm prejudicado o sistema de abastecimento de água potável do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) de Passos. O ribeirão Bocaina, onde se localiza a mais antiga estação de captação de água da cidade e que abastece 70% da população, está no limite mínimo de vazão. As quatro bombas, de 440 cavalos, que normalmente operam 24 horas por dia têm sido ligadas alternadamente, porque em horários de pico não há água suficiente para abastecer a Estação de Tratamento (ETA) Antônio Porto, localizada no alto do bairro Nossa Senhora Aparecida.

Para amenizar o problema, promovemos limpeza e o desassoreamento de cerca de 800 metros acima da barragem de contenção do ribeirão, mas sem chuva, pouco resolveu”, comentou Pedro Teixeira, diretor-geral da autarquia.

Outro problema revelado pelo diretor do Saae são os desvios praticados pelos proprietários de terra por onde passa o leito do ribeirão.

Eles fazem isso de forma irregular, porque é proibido por lei a utilização da água nas lavouras de diversas culturas. Ao chegar à Estação de Captação, a quantidade é bem menos que o necessário para o bombeamento até a ETA. Posso afirmar que o volume de água já baixou cerca de 40% desde a estiagem. E se não chover muito nos próximos dias, podemos chegar ao ponto de decretar racionamento”, avisou.

Já o Sistema de Captação Rio Grande Otalírio Silveira, que possui quatro bombas com a mesma potência das que operam no Bocaina, não tem alterado de forma significativa o abastecimento de 30% da população, porque o nível da água do Rio Grande oscila bastante de acordo com a geração de energia das usinas hidrelétricas de Furnas e Peixoto.

Parte dos bairros Coimbras, Penha, Carmelo não sofre com o desabastecimento, porém aqueles que recebem água do Bocaina, mesmo durante o dia, são prejudicados, porque os reservatórios não conseguem receber o mínimo de líquido suficiente para o bombeamento até as residências. Muitas vezes, só à noite ou no início da madrugada que as torneiras voltam a jorrar água. Se tivesse uma rede mestra ligando as ETAs Otalírio Silveira e Antônio Porto, jamais haveria desabastecimento em Passos”, explicou o diretor. Hoje, a cidade possui cerca de 600 quilômetros de rede e 33 reservatórios com capacidade entre 500 mil e 2 milhões de litros.

De janeiro a setembro de 2020, houve um aumento de 19,36% no consumo de água em comparação ao mesmo período do ano passado. Teixeira revelou que o tratamento de água neste ano aumentou consideravelmente nas duas ETAs: a Antônio Porto passou de 22 milhões de litros por dia para 28 milhões, enquanto a Otalírio Silveira saiu de 18 milhões de litros por dia para 22 milhões.


Principais dicas para evitar desperdícios de água

●1. Tome banhos mais curtos;
●2. Feche o chuveiro ao se ensaboar;
●3. Mantenha a torneira fechada ao escovar os dentes, lavar o rosto ou as mãos;
●4. Cuidado com os vazamentos;
●5. Use a descarga com consciência;
●6. Limpe as louças antes de lavá-las;
●7. Lave a roupa com menos frequência e mais atenção;
●8. Não utilize a mangueira para lavar o carro ou regar as plantas;
●9. Use a vassoura para limpar a calçada, não utilize a mangueira;
●10. Cuide da água da piscina. Com ela coberta, a evaporação diminui em até 90%.
●11. Atente-se à caixa d’água – não deixe a caixa transbordar e mantenha-a sempre fechada para evitar a evaporação;
●12. Reaproveite a água do banho e da máquina de lavar. Isso pode servir para pequenas limpezas, como a da calçada ou do carro, e principalmente para dar a descarga.
●13. Aposte em sistemas de reutilização. Os sistemas de reúso profissionais são caros, mas, no longo prazo, geram economia no consumo de água e ainda mais na conta