Destaques Geral

Com 4,1% de letalidade por covid-19, Paraíso tem 2ª pior taxa no Sul de Minas

Gabriella Alux / Especial

21 de junho de 2021

Professor sinézio inácio da silva júnior, da universidade federal de alfenas (unifal) :/ Reprodução

PASSOS – O índice de letalidade da covid-19 em São Sebastião do Paraíso (4,1%) é o segundo mais alto entre os dez municípios mais populosos do Sul de Minas e fica atrás somente de Itajubá (4,4%), segundo o boletim Indcovid divulgado pela Universidade Federal de Alfenas (Unifal) no último dia 14. Passos, 2,9%, ocupa a 4ª posição, atrás de Itajubá, Paraíso e Poços de Caldas (3,1%). De acordo com o estudo da Unifal, as regiões Triângulo Sul e Sul de Minas têm registrado os maiores níveis de contágio da doença.

O boletim, feito com base em dados da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), mostra Passos em 7º lugar entre as dez cidades com maior população em incidência da infecção pelo novo coronavírus, com 7,2%. São Sebastião do Paraíso está em 8º lugar, com incidência de 7%. Nos últimos 14 dias, segundo o estudo da Unifal, Passos havia apresentado tendência de diminuição de novos casos, mas voltou a registrar crescimento nesta sexta.

De acordo com o pesquisador responsável pela análise epidemiológica da Unifal, o professor Sinézio Inácio da Silva Júnior, a variante mais transmissível na região, em mais de 80% dos casos, é a variante Gama (antiga P1), desde abril. “Ou seja, nesta altura de junho, podemos contar que essa variante mais transmissível já domina toda a incidência na região”, disse.

“Em Paraíso, a situação é bem pior. Em todo esse período, houve registro de tendência de crescimento de casos e o município registra uma mortalidade por habitante 50% maior do que a do Sul de Minas, com 289 mortes (a cada 100 mil habitantes), quase 30 vítimas para cada dez mil habitantes, sendo que na região sul, é registrado em torno de 20 mortes para cada dez mil de habitantes. O município está entre os 20 com maior mortalidade por habitante entre os 154 municípios da região Sul e é o segundo pior entre os dez mais populosos do sul mineiro, depois de Itajubá”, relatou Júnior.

O prefeito de Paraíso, Marcelo Morais, relata que nos últimos 30 dias a cidade registrou uma incidência maior de casos devido ao trabalho de testagem rápida que tem sido feito em praticamente todos as pessoas atendidas no Centro Covid.

“Percebemos que a nova cepa está contagiando mais e os números aumentaram, mas deve ser considerado a realização de mais testagens para identificar o vírus de forma precoce. Acredito que há vários fatores determinantes para esse aumento, como festas clandestinas, principalmente noturnas, aglomerações em centros, estabelecimentos, bares e outros. Espero que, com o avanço da vacinação, os números de internação hospitalar e a gravidade dos casos diminuam para que o vírus seja controlado e possamos retornar ao normal”, declarou.

Segundo o estudo da Unifal, a pandemia na região aponta para uma estabilidade de novos casos, apesar do patamar ainda estar alto, com registro, nesta sexta, de uma média diária de 1.715 novos casos na semana. O ritmo médio aponta mais de cem internações por dia e mais de 30 mortes diárias, em média, na semana. Se considerar o último boletim, do dia 18, são 129 internações na média de sete dias, com 38 óbitos.

De acordo com o professor Sinézio, já havia indicação de que o Sul de Minas seria a região com o maior número de contágio por conta da proximidade e interação com os estados de São Paulo e Rio de Janeiro, pela região Serra da Mantiqueira.

“A questão demográfica é importante, pois, depois da região central, a mais populosa é a do Sul, que apresenta municípios relativamente próximos uns dos outros. E, até o momento que a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) informou sobre o distanciamento social em Minas, essa região estava com os menores índices. Isso tudo dava motivo para suspeitar que poderíamos ser líderes no ritmo de contágio”, finalizou.

Alpinópolis realiza busca ativa nesta segunda-feira

A Prefeitura de Alpinópolis, através do Departamento de Saúde, inicia nesta segunda-feira, 21, um monitoramento de sintomas gripais no comércio local com realização de testes nos funcionários para a detecção da covid-19 durante a semana. A ação tem o objetivo de frear ainda mais o avanço da doença e isolar de forma rápida os casos positivados.