Destaques Opinião

Chamas acesas

22 de julho de 2020

Traga ao meu coração algo que me dê esperança”. (Livro das Lamentações). Passando pelas praças centrais de Passos (da Matriz e da Prefeitura) em dias seguidos, recentemente, pude notar que as fontes luminosas estão funcionando, pelo menos durante o dia, e não se encontram abandonadas, tomadas por mato e lixo, como em gestões anteriores. A atual administração, em que pese contra ela todas as críticas, fundadas ou infundadas, faz bem em manter esses bens públicos em bom funcionamento.

Alguém poderá objetar, argumentando que é irrelevante a Prefeitura cuidar de fontes luminosas em detrimento de tantas outras prioridades e problemas que o município enfrenta, perdendo tempo com coisas insignificantes. Sem pretender polemizar sobre os acertos e falhas da atual administração municipal, vejo tal fato – o da boa manutenção das fontes luminosas – como algo positivo, que deve ser preservado e melhorado, não somente pelo aspecto paisagístico, ornamental, trazendo um pouco de beleza, de leveza, ao espaço público central da cidade, mas também como um marco, um memorial vivo de esperança a ser visualizado por todos que por lá circulam, de que coisas melhores podem ser construídas, alcançadas, atentando-se, também, para as demais demandas, tais como as da saúde, da educação, da segurança pública… mormente diante de momento tão tormentoso que vive o mundo, com a pandemia do Covid-19 e as crises que dela se irradiam.

Em encontro com pequeno grupo de amigos neste último fim de semana (com as devidas cautelas que a atual pandemia nos impõe, por óbvio), tivemos a oportunidade de observar o trabalho realizado por outro amigo enquanto descansávamos – trabalho esse que tornou-se a sua marca registrada, pois realizado com afinco, zelo e diuturnamente, mesmo e apesar da crise. E já está a colher, merecidamente, os bons frutos de sua labuta diária… sinalizando para nós, com seu exemplo, que vale a pena trabalhar o que temos de melhor em nós e pelo que acreditamos.

Ainda que os problemas que nos cerquem, sejam eles de ordem pessoal ou de conjuntura municipal, nacional, global… possam nos parecer insuperáveis, o nosso foco não deve estar voltado para eles, mas para a possibilidade de sua superação. É a esperança… que nos move a trabalhar com determinação por tempos melhores.

Em meio às crises em que vivemos nos dias atuais, sob todos os aspectos, talvez a sua vida esteja um caos também, sem perspectiva de mudança para melhor ou de superação das dificuldades. Mas, com certeza, algo de bom, de positivo, ainda resta em sua vida e em que valha a pena investir, valorizar. Mantenhamos o foco nisso, sem esmorecer, e outras portas certamente se abrirão. E o que era impossível, antes, pode se tornar realidade. Saúde e paz a todos!

WASHINGTON L. TOMÉ DE SOUSA, bacharel em Direito, ex-diretor da Justiça do Trabalho em Passos, escreve quinzenalmente às quartas, nesta coluna