Destaques Geral

Carne de frango está até 80% mais cara em Passos

Felipe Misuraca / Especial

17 de junho de 2021

Um dos principais motivos do aumento da carne de frango está na alta dos valores dos insumos usados na criação de aves:/ Reprodução

PASSOS – O preço do frango está até 80% mais alto em Passos na comparação com os valores cobrados em 2020. De acordo com Cássio de Almeida Cruz, proprietário de um açougue na cidade, um dos principais motivos é a alta no valor de insumos usados na criação das aves, como a ração e o milho, por exemplo.

Segundo um balconista que trabalha no açougue de um supermercado em Passos, em alguns cortes de frango o preço quase dobrou.

“Em comparação ao ano passado, a coxa, peito e asa estão bem mais caros, quase o dobro do preço”, disse. Segundo ele, o aumento chega a 80% em relação ao ano passado.

Mesmo mais caro, a venda de frango não diminuiu devido ao custo de outras carnes, como de porco e de vaca, que também tiveram os preços elevados no mesmo período.

“O aumento do preço não afetou as vendas porque a carne de porco e de vaca ficaram muito caras. A de frango está vendendo muito mais em comparação com as outras. O preço pode ser considerado barato em relação às outras disponíveis”, afirma o balconista.

Para os consumidores, uma das saídas tem sido a substituição por ovos ou outros produtos mais em conta.

“Devido ao aumento do preço, eu tento intercalar o consumo entre o almoço e a janta, por exemplo. Tento substituir a carne por alguma verdura ou ovos, por serem considerados saudáveis e que rendem mais”, comenta uma dona de casa. “O frango, para mim, é essencial, uma vez que ele sustenta e pode ser utilizado para vários tipos de refeições. Porém, com o aumento, estou tendo que buscar outras soluções para contornar a situação”, afirma.

O presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin, afirma que o aumento no preço do frango ocorre na esteira da elevação nos custos de produção.

“É inevitável esse reflexo para a prateleira e para a mesa do consumidor. Se o milho sobe 100%, não tem como você aguentar e segurar o preço”, afirma Santin.

De acordo com análise do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Universidade de São Paulo (USP), o preço do frango congelado passou de R$4,89 o quilo, em junho de 2020, para R$7,11 em junho deste ano. A saca de milho, no mesmo período, passou de R$49,70 para R$95,92.

Segundo o economista André Braz, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV Ibre), além do preço dos insumos, o mercado mais atrativo para exportação também pressiona o valor do frango no mercado interno. Se, por um lado, isso é bom para a balança comercial, por outro, é um desafio a mais para a inflação, porque desabastece o mercado brasileiro” diz o economista. Braz destaca que a demanda mundial por produtos, aquecida pela pandemia do coronavírus, deve seguir nos próximos meses.

Diante desse cenário, o economista estima que o preço das carnes deve permanecer um desafio para o orçamento das famílias.

“Eu não vejo uma tendência de redução nas exportações da carne brasileira. Acredito que isso vai continuar tanto pelo aquecimento da economia asiática, principalmente da China, que é a nossa principal compradora, quanto pelo encarecimento dos custos de produção desses animais”, disse.