Destaques Política

Candidatos a prefeito já gastaram R$320 mil na campanha em Passos

30 de outubro de 2020

PASSOS – O prazo para a prestação de contas parcial dos candidatos chegou ao fim nesta terça-feira, 27. O balanço é referente aos gastos registrados desde o início da campanha e até o último dia 20. Em Passos, as sete duplas que disputam a prefeitura já apresentaram os documentos relativos ao levantamento de gastos, enquanto uma delas ainda não enviou o relatório de recursos recebidos. A 16 dias do pleito, a soma das despesas já totaliza R$320.957,06, considerando que o limite de investimentos chega a R$1.245.536,37.

Segundo as informações divulgadas pelo sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a candidatura de Alexandre Maia e Dr. Gilberto, filiados ao Democratas (DEM), recebeu o montante de R$19.400, doados por pessoas físicas, considerando que os contratos somam R$127.286,74, dos quais R$6.395,04 já foram pagos aos fornecedores de produtos ou serviços. André Patti, membro do Republicanos, e Benedito Martins, do PDT, contam com R$35 mil oriundos do fundo especial. Deste valor, R$34.900 já têm destino estabelecido (R$30.900 estão quitados).

A dupla formada por Capitão Virgínio e Carlos Conte, do PMN, conta com R$5.300, investidos pelo próprio candidato a prefeito, posto que as despesas somam R$4.352,00 e nenhum débito está pendente. Representando o PSL, estão Diego Oliveira e o Tenente Coronel Arlindo Nascimento, que possuem R$30.180 em conta, com R$53.715,82 em gastos já definidos e R$26.057,70 em dívidas liquidadas.

Na prestação de contas dos candidatos Juarez Moreira e Dona Cida, filiados ao PT, o valor já recebido é de R$51.813,29, uma vez que as aplicações estão em R$15.750, das quais R$4 mil foram pagas. Rodrigo Maia (Podemos) e Iran Parreira (MDB) contabilizam R$51.978, arrecadados por doações de pessoas físicas e pelo Fundo Especial. A dupla soma R$82.452,50 em despesas contratadas e R$30.262,50 restituídos.
A candidatura de Dr. Aquiles e Sérgio Acorinte, filiados ao Avante, tem R$2.500 em contratos pendentes. Em relação ao total de recursos arrecadados, a dupla não enviou a prestação de contas parcial. Conforme a Resolução nº23627/2020, aqueles que não encaminharem a documentação necessária ou os que fornecerem informações que não correspondem à efetiva movimentação dos saldos serão punidos por infração grave, salvo pela justificativa de que os arquivos passarão pela apreciação no julgamento da prestação de contas final, desde que acolhida pela Justiça Eleitoral.

Sobre a importância do envio de toda a documentação, o TSE lançou uma nota explicando que este é um dever de todos os diretórios partidários e dos candidatos, incluindo vices e suplentes. A medida obrigatória visa garantir maior transparência no que se refere à legitimidade no processo eleitoral. Em casos de desistências, os candidatos devem prestar contas dos gastos correspondentes ao período que estiveram no processo, ainda que não tenham iniciado as ações de campanha.

A 17 dias do pleito, a soma das despesas já totaliza R$320.957,06, considerando que o limite de investimentos chega a R$1.245.536,37. / Foto: Divulgação

LEIA TAMBÉM: CAMPANHA DÁ TRABALHO PARA A PM DA REGIÃO