Destaques Política

Câmara de Alpinópolis rejeita proposta para redução de salário dos políticos

3 de julho de 2020

Os saques em dinheiro podem ser feitos nas Lotéricas, Correspondentes Caixa Aqui ou mesmo nas agências. / Foto: Divulgação (Agência Brasil)

ALPINÓPOLIS – A Câmara Municipal de Alpinópolis rejeitou emenda que reduzia o salário dos vereadores, vice-prefeito e prefeito da cidade. A emenda foi proposta pelo vereador Joaquim Reis Pereira da Silveira, o Quinca do Tião Roberto, ao Projeto da Mesa Diretora que visa manter o salário para os próximos quatro anos. Há outra emenda, proposta pelo vereador José Acácio Vilela, o Zé Acácio, para que a redução fique à escolha de cada ocupante do cargo. A reunião aconteceu na última segunda-feira, 29.

O Projeto de Resolução 002/2020, de autoria da Mesa Diretora da Câmara Municipal, foi aprovado e fixa para os próximos quatro anos a manutenção dos salários dos vereadores em R$3.665,16. Já o Projeto de Lei 004/2020, também da mesa diretora, mantém os vencimentos do vice-prefeito em R$3.831,20 e do prefeito em R$16.328,01.

O vereador Quinca apresentou emendas prevendo a redução dos pagamentos mensais de vereador e vice-prefeito para um salário-mínimo. Os vencimentos do prefeito seriam reduzidos para o mínimo constitucional possível, que é o mesmo de médicos de PSF, atualmente em torno de R$ 13.000,00, segundo a proposta.

De acordo com o vereador, a emenda foi apresentada por acreditar que a redução efetiva acontece com a imposição por lei e não com uma proposta facultativa, o que, na visão dele, não gera a transparência necessária nos gastos públicos.

Para mim, deixar optativo aos próximos vereadores eleitos pode só gerar argumentos de campanha e nada que seja realmente efetivo para a população e para o município. Já que estávamos discutindo esse assunto e tínhamos essa possibilidade, acredito que deveríamos já ter tomado essa decisão”, garantiu o vereador.

Os vereadores que votaram a favor da redução dos subsídios apresentaram como argumento de que, se houvesse a imposição, a economia já poderia ser prevista no orçamento dos próximos anos e ser remanejada para outros custeios do município, já que a previsão é de que seriam mais de R$ 1,5 milhão economizados.

Com a minha experiência na Secretaria de Saúde, vi que com economias é possível realizar muitos benefícios para a população e para mim essa seria uma grande ajuda nesse momento de crise e de grandes dificuldades causadas pela pandemia”, ressaltou a vereadora Maysa.

As propostas foram rejeitadas, tendo empate de quatro votos favoráveis e quatro contra, com desempate da presidente Sandra Aparecida de Carvalho Nascimento, a Sandra do Nequinha. Votaram contra as emendas de imposição da redução salarial os vereadores José Acácio, Rafael Freire, Mauro Celso de Souza Santos, o Mauro da Ração e Valdeci Pimenta Freire, o Valdeci do Toti. A emenda recebeu os votos do autor Quinca, Maysa Marques Oliveira, Paulina Dezideria Candido, a Paulina do São Bento e Guilherme Lima.