Destaques Esporte

Caetano fala em necessidade de vendas e alerta para finanças do Atlético

2 de julho de 2021

Rodrigo Caetano disse que o clube ainda não recebeu propostas por jogadores do elenco. / Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – O diretor de futebol do Atlético, Rodrigo Caetano, disse em coletiva de imprensa nessa terça-feira que não vai prometer reforços e que o clube precisa negociar jogadores. O dirigente alertou para as finanças e afirmou que as fontes de receita caíram ainda mais nesta temporada. Nos últimos anos, o Galo elevou a dívida, que é a maior do futebol brasileiro:

Em relação a reforços, eu vou repetir o que ninguém gosta de ouvir. O elenco do Galo foi montado ao longo de 2020, 2021. A pandemia não acabou. As receitas do clube não retornaram, pelo contrário. Elas tendem a diminuir ainda mais, porque muitas delas entraram no primeiro semestre de 2021 por conta de 2020, como premiação do Campeonato Brasileiro da temporada passada. Eu adoraria seguir contratando, gostaria muito de seguir fortalecendo o elenco, mas a realidade do Galo não é essa. E vocês podem ter absoluta certeza que eu não vou passar aqui para onerar mais ainda o clube, na situação delicadíssima que nós enfrentamos”, disse.

Se nós pudermos fortalecer o elenco com a devida responsabilidade e aprovação do nosso órgão colegiado, porque só foi possível ter este elenco neste momento por conta do apoio dos quatro R’s (Rafael e Rubens Menin, Renato Salvador e Ricardo Guimarães). O elenco que é muito forte, não o melhor de todos, foi por conta deste apoio, senão seria inviável. Então, cabe a nós trabalharmos com responsabilidade, sabedores que teremos que realizar negociações de vendas de atletas como todos os demais clubes. Se por ventura tivermos a perda de alguém, é nosso trabalho a reposição, mas eu não vou ficar aqui prometendo contratação em um momento bastante complicado financeiro que o clube atravessa”, acrescentou.

Rodrigo Caetano ainda disse que o clube precisa pagar atletas contratados no ano passado e que há necessidade de venda de jogadores para gerar receitas extraordinárias, já que a arrecadação caiu muito durante a pandemia de COVID-19.

Esses atletas adquiridos ano passado eles não foram quitados, não pense você que está tudo devidamente quitado e que podemos pensar em novas aquisições. Vários deles ainda estamos pagando, vários deles temos valores a serem pagos em 2022 e assim por diante. Existe a necessidade de receita extraordinária e ela está no orçamento divulgado pelo clube. Alguns jogadores fora do elenco e com vínculo com o clube nós acabamos rentabilizando para diminuir essa necessidade de fazer a venda de um ou dois jogadores do elenco principal. Penso que muito mais do que contratar, a equipe de melhor performance será a que menos vender. As receitas caíram demais e temos compromissos. Até o presente momento não negamos nenhuma proposta porque não tivemos nenhuma”.