Destaques Geral

Brigada anticovid interdita 17 estabelecimentos em Passos

7 de junho de 2021

“Festas particulares, depois de bares, é o maior problema que Passos tem atualmente”, relata coordenador da Brigada, thiago salum, diretor de saúde coletiva :/ Reprodução

PASSOS – A Brigada de Enfrentamento à Covid interditou 17 locais em Passos, sendo cinco apenas na manhã deste sábado. As interdições ocorreram desde a publicação do decreto nº285, que passou a vigorar no sábado passado, 29. Entre os locais autuados estão bares, áreas de lazer e espaços de festas. De acordo com o coordenador da brigada, o diretor de Saúde Coletiva Thiago Salum, em todas as ações foram registrados Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), em conjunto da Polícia Militar.

“Todas essas autuações são interdições cautelares e imediatas, onde a gente interdita o local e, posteriormente, a empresa deve fazer um plano de contingência para ser apresentado à secretária de saúde. Com isso, ela pode deferir e pedir outras informações ou indeferir. Então isso será apresentado antes de abrir um plano de contingência sobre o que aconteceu”, disse Salum.

Segundo Salum, no feriado de Corpus Christi, na última quinta-feira, 3, o movimento foi equivalente aos verificados em fins de semana.

“O que mais vimos foram festas em residências particulares, com 15 ou 20 jovens, que estão proibidas pelos decretos vigentes. Depois dos bares, é o maior problema que Passos tem atualmente. Percebemos que são nessas festas que várias famílias estão sendo contaminadas e, infelizmente, dois ou três membros estão vindo a óbito”, relatou.

O coordenador da brigada também afirma que está sendo agendada uma reunião de emergência com os gerentes de todos os supermercados e hipermercados do município, para que eles colaborem em ajustar esses estabelecimentos aos decretos municipais.

“O que está acontecendo é que, se tem o horário de fechamento às 17h, mas resolve fechar neste horário com 200 pessoas dentro do mercado e 300 na fila, e ainda com estacionamento aberto, permitindo a entrada de pessoas, significa que o decreto não está sendo seguido. O ideal é ficar de olho e atentar à quantidade de pessoas que estão entrando no local, para que uma orientação seja seguida. Por isso, estamos averiguando o que não está sendo cumprido nessa situação para que, se for preciso, iremos interditar hipermercados e supermercados em Passos”, declarou Salum.

Thiago também relata que muitas pessoas têm feito denuncias à brigada, mas que, em muitos casos, são questões relacionadas à perturbação do sossego, que deveria ser direcionado para a Polícia Militar ou ser resolvido na Justiça.

“Quando há alguma reclamação de som alto, por exemplo, a gente vai até o local e vemos apenas um casal com pai, mãe e filha. Então, como não há incidência de aglomeração e não apresenta perigo à saúde pública, até pedimos para baixar o som, mas não mandamos, justamente porque não cabe a nós. Por isso, muitos reclamantes relatam a continuidade do som alto, por exemplo, mas nosso trabalho é evitar a disseminação do coronavírus na cidade”, declarou o coordenador.

Salum também orienta a população para que não faça festas, jantares e nenhum tipo de aglomeração, independentemente da quantidade de pessoas ou da natureza do evento.

“Volto a dizer que a tolerância para festas, encontros e outros eventos relacionados, capazes de disseminar o vírus, e também de pessoas que estiverem indo contra os decretos municipais, é zero. Além disso, não leve pessoas fora do seu convívio atualmente para dentro da sua casa, pois elas podem estar contaminadas ou levar a contaminação de sua casa para demais locais, que é o que mais está acontecendo hoje em dia. Não é hora de fazer festa, aglomerações, jantares, churrascos e encontros até mesmo com quatro, cinco ou seis pessoas. A atual situação da saúde pública é extremamente preocupante”, afirma.