Destaques Geral

Bolsa Família inicia pagamentos de março a mais de 14 milhões de beneficiários

18 de março de 2021

Foto: Divulgação

Os beneficiários do Bolsa Família começam a receber os pagamentos de março nesta quinta-feira (18.03). Ao todo, serão contempladas mais de 14,52 milhões de famílias neste mês. É a maior folha já registrada pelo programa, com cerca de 300 mil novas concessões em relação a fevereiro. Desde abril do ano passado, o número de famílias beneficiárias se mantém acima dos 14 milhões, a maior média da história do Bolsa Família. O valor total de repasses de março supera a cifra dos R$ 2,7 bilhões, com um benefício médio de R$ 186,49.

Atingimos neste mês o número expressivo e inédito de 14,52 milhões de famílias beneficiárias pelo Bolsa Família. Assim, o Governo Federal vem cumprindo o seu papel de, cada vez mais, proteger a população mais vulnerável e combater a pobreza e a desigualdade social no Brasil, especialmente neste momento delicado da pandemia que o país enfrenta“, comenta a secretária nacional de Renda de Cidadania do Ministério da Cidadania, Fabiana Rodopoulos.

Antes deste mês, maio de 2019 era o que figurava com maior número de famílias contempladas, com 14,33 milhões. Desde abril de 2020, o programa tem mantido o número de famílias beneficiárias superior a 14 milhões.

Na divisão por regiões, o destaque em março de 2021 é o Nordeste, com mais de sete milhões de famílias atendidas e três estados com mais de 1 milhão de contempladas: Bahia, com 1,8 milhão (maior número de beneficiários do país), Pernambuco (1,1 milhão) e Ceará (1 milhão). Na sequência aparecem o Sudeste, com 3,9 milhões, o Norte (1,79 milhão), o Sul (948 mil) e o Centro-Oeste (702 mil).

Como em todos os meses, os pagamentos terão início pelos beneficiários com o Número de Identificação Social (NIS) final 1, seguindo até o dia 31, conforme a tabela abaixo. As parcelas mensais ficam disponíveis para saque durante 90 dias após a data indicada no calendário, e os beneficiários podem conferir no extrato de pagamento a “Mensagem Bolsa Família” com o valor do benefício.

A capacidade de atendimento do Bolsa Família leva em conta a disponibilidade orçamentária e a estimativa de pobreza em cada município. Para receber o benefício, é preciso estar com informações consistentes e sem pendências no Cadastro Único do Governo Federal.

Poupança Social Digital

Também nesta quinta-feira, tem início a quarta e última fase de inclusão bancária na Conta Social Digital, seguindo o calendário de pagamentos do programa. Neste mês, serão incluídas as famílias que possuem final de NIS 1 e 2, além do público prioritário do Bolsa Família, os Povos e Comunidades Tradicionais, como indígenas, quilombolas, extrativistas, ribeirinhos e pescadores artesanais. A estimativa é que a ação alcance mais três milhões de famílias apenas neste mês.

A inclusão bancária teve início em dezembro do ano passado, resultado de uma parceria entre o Ministério da Cidadania e a Caixa Econômica Federal. Com a Poupança Social Digital, os beneficiários do Bolsa Família passam a contar com serviços bancários e digitais, tendo as opções de saques e de pagamentos de benefícios do programa ampliadas. A iniciativa beneficiará, ao todo, aproximadamente nove milhões de famílias.

Na primeira etapa do cadastramento, ainda em dezembro, foram abertas 1,5 milhão de contas sociais, para quem tinha NIS com final 9 e 0, seguindo a data de crédito regular do programa. Em janeiro e fevereiro de 2021, mais 4,5 milhões de famílias receberam os recursos com os serviços da Conta Poupança Social Digital. A abertura das contas digitais ocorre de forma automática pela Caixa, sem que o beneficiário precise levar documento às agências.

Com a Poupança Social Digital, teremos a maior inclusão bancária da história do Bolsa Família”, afirma Rodopoulos. “Além disso, os beneficiários terão mais opções, como o uso do cartão de débito para compras e pagamentos de contas, não precisando sacar todo o dinheiro de uma vez só“, acrescenta.

Além de movimentar o benefício por aplicativo de celular, os beneficiários poderão continuar sacando os recursos por meio do Cartão Bolsa Família ou Cartão Cidadão. “Essa conta representa mais segurança para os beneficiários e ainda vai facilitar a vida de quem tem algum problema de mobilidade ou vive longe das agências bancárias ou dos terminais lotéricos”, prossegue a secretária.

A Conta Poupança Social Digital não cobra tarifas de manutenção e não exige uma nova senha. Assim, o beneficiário pode usar a mesma senha do cartão social. Inicialmente criada para pagamento do Auxílio Emergencial, a Poupança Social Digital foi transformada em conta permanente em outubro do ano passado, com o objetivo de permitir que as famílias de baixa renda tenham acesso ao sistema bancário de forma simplificada e sem custos.

O Ministério da Cidadania ainda disponibilizou um guia rápido com todas as informações sobre o acesso e o uso da Conta Social Digital para apoiar os municípios.