Destaques Geral

Banco de leite da Santa Casa de Passos tem apenas seis doadoras

Nathália Araújo / Redação

22 de setembro de 2021

Uma classificação de risco é realizada para identificar os bebês que mais necessitam do leite

PASSOS – O Banco de Leite Humano da Santa Casa de Misericórdia de Passos está com estoque limitado e conta com apenas seis doadoras, cadastradas em toda a região. Por esse motivo, a equipe de enfermagem neonatal, junto a médicos e nutricionistas da instituição, tem usado classificação de risco para identificar os recém-nascidos que possuem maior necessidade de receber o leite disponível. O principal objetivo é tentar garantir que os bebês se alimentem com o leite materno, exclusivamente, nos primeiros 30 dias de vida.

Quando as doações chegam, todas passam por um processo de controle de qualidade para que seja definida a classificação e a quantidade de gordura para, então, o leite ser pasteurizado e oferecido aos bebês da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal. A prioridade é atender crianças que nasceram com menos de 32 semanas de gestação e, por conta do parto prematuro, o corpo da mãe pode encontrar dificuldades para produzir a quantidade necessária para uma boa amamentação.

Segundo Alessandra Sarno, coordenadora de enfermagem do banco de leite, é comum que os recém-nascidos prematuros apresentem quadros de infecções e o leite é fundamental para melhorar a imunidade e prevenir doenças.

“Temos o intuito de promover, proteger e apoiar o aleitamento materno e a doação de leite humano. Deste modo, além das doações, também contamos com um trabalho de orientação para as primeiras amamentações e de ordenha à beira leito, na qual as mães realizam a captação ao lado de seus filhos e, logo em seguida, estes já recebem o alimento puro”, disse.

Alessandra também conta que cerca de 180 bebês nascem, por mês, na maternidade da Santa Casa, 60% deles filhos de mães que residem em Passos.

“Isto quer dizer que o número de doadoras é realmente muito baixo e, por esta razão, devemos conscientizar nossa comunidade sobre a importância do leite materno, que costumamos chamar de ‘sangue branco’ por conta da infinidade de benefícios que ele apresenta e merece muito respeito. Para a doação, esta deve ser a alimentação exclusiva dos bebês com até seis meses de vida e o banco recebe apenas o que sobra, ou seja, não interfere na amamentação dos filhos”, afirma Alessandra.

Mulheres que tiverem interesse em colaborar podem entrar em contato com a equipe da maternidade por meio do telefone (35) 3529-1568, de segunda-feira a sexta-feira, em horário comercial. Para quem preferir uma visita em casa para receber as orientações sobre a captação do leite, basta realizar um agendamento. No caso das mães que não residem em Passos, o hospital também conta com uma rede de apoio para transportar as doações.