Destaques Esporte

Associação dos clubes da Série B está perto de ser criada

13 de julho de 2020

Taça Campeonato Brasileiro Série B. / Foto: Divulgação

BELO HORIZONTE – O presidente do América-MG, Marcus Salum, revelou que a associação dos clubes da Série B do futebol brasileiro está perto de ser oficializada. Segundo o dirigente do Coelho, a confirmação ocorrerá em breve, já que os últimos detalhes estão sendo acertados agora. Além de Salum, Leonardo de Oliveira, presidente do Paraná, também estará na liderança da associação.

É uma associação que está sendo registrada em cartório e está passando por uma última diligência. Em breve, existirá a associação dos clubes da Série B do futebol brasileiro. Ela vai sair, e nós iremos fazer a divulgação. Eu serei o presidente, e o presidente atual do Paraná será o meu vice” disse ele.

Sobre o motivo da criação dessa associação, Salum credita à falta de de proximidade da CBF com os clubes. O presidente do Coelho elogiou a entidade máxima do futebol brasileiro na realização de outros trabalhos, como logística e tabelas, mas destacou que falta dar mais atenção às equipes.
O futuro presidente da associação ainda destacou que a tendência é de os clubes criarem uma liga independente para a organização dos campeonatos.

Por mais que a CBF queira cuidar dos interesses dos clubes, a prioridade dela é cuidar dos seus interesses. Eu sempre digo o seguinte: que a CBF tem uma expertise, hoje, de organizar campeonatos, que são muito bem organizados. Ela (CBF) tem uma estrutura que funciona, como o registro, doping e todo esse trabalho de montagem de tabela e logística. Porém ela não preocupa em melhorar a condição dos clubes. A associação nasceu com esse intuito. E eu diria que a liga é o futuro, mas os clubes não estão preparados para ter essa liga ainda. Estamos engatinhando. Temos que cuidar dos interesses dos clubes” revelou.

Não é novidade a presença de Marcus Salum à frente de negociações em prol das equipes do futebol brasileiro. Nos últimos anos, o mandatário do América-MG esteve diretamente ligado às tratativas pela maior igualdade na distribuição de cotas de TV no Brasil, principalmente na Série B.