Destaques Geral

Aposentados produzem roupas de cama para desabrigados

4 de abril de 2020

PASSOS – As pessoas em situação de rua que estão sendo assistidas pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho e Renda (Sedest) de Passos, em regime de isolamento social, nos últimos dias passaram a ser beneficiadas através de uma ação voluntária de um casal de aposentados. Por iniciativa própria, Nilda Galdina Conde Godinho e José Francisco Godinho estão produzindo lençóis e entregando aos responsáveis pelo acolhimento das pessoas em estado de vulnerabilidade social.

 

Profissional da área de engenharia mecânica nas décadas de 60, 70 e 80, José Francisco, mais conhecido em Passos como professor Godinho porque se tornou profissional nas áreas de português, inglês, espanhol, francês, latim, e não exerce mais a função porque se aposentou, é também integrante da diretoria da regional do Sindicato dos Trabalhadores na Educação (Sind-UTE).

 

Godinho revelou que quando residia em Taubaté (SP) tinha uma fábrica de confecções, mas em razão das constantes viagens como engenheiro, sua esposa, Nilda, ficou sobrecarregada, e por isso teve que encerrar a produção. Assim o casal se mudou para Passos, trouxe as máquinas de costuras e muito tecido. “Aí, nas horas vagas, nós produzíamos roupinhas para crianças carentes de Passos, principalmente do Bairro Novo Horizonte. Isso durou alguns anos, meio devagar, mas nunca paramos”,
revelou.

 

Ao longo dos últimos anos, Nilda, uma das fundadoras do Grupo de Apoio aos Pacientes Oncológicos de Passos (Gapop-R) contou que sempre produziam roupas de cama, mesa e banho também para várias instituições assistenciais de Passos, citando como exemplos o extinto Hospital Psiquiátrico Otto Krakauer, Associação Espírita Santo Agostinho, Centro de Aprendizagem Pró-Menor de Passos (Capp), Casa São José, conferências vicentinas e muitas outras. “Nunca paramos de ajudar o irmão necessitado. Sempre que sobra um tempinho, nós produzimos diversos tipos de roupas para quem precisa”, ressaltou.

 

O pontapé inicial para produzir lençóis e até colchas de retalhos, disse o professor, foi quando ficaram sabendo que os moradores de rua foram levados para o ginásio poliesportivo Municipal da Barrinha, as mulheres, e Escola Municipal Professora Emília Leal de Melo, os do sexo masculino. “Tínhamos muitos tecidos como percal, popeline e outras que viram quase 80 lençóis. Retalhos, que de vez em quando ganhamos de algumas fábricas de confecções de Passos e lençóis usados doados pelo proprietário de um motel da cidade, fizemos diversas colchas para se protegerem do frio. Tudo isso já entregamos ao pessoal da Sedest”, contou o professor Godinho.

 

O mais interessante nessa história de amor ao próximo é que Godinho e Nilda trabalham sozinhos na própria casa localizada, no bairro Novo Mundo. Seus instrumentos de trabalho são as antigas máquinas caseiras das marcas Singer e Vigorelli. O número do telefone de contato para quem desejar doar tecidos é o (35) 3526-6189.