Destaques Esporte

Após reviravolta, Celeste deve fechar contrato com atacante Keké

24 de junho de 2021

Keké será reforço do Cruzeiro na Série B:/ Divulgação

BELO HORIZONTE – O Cruzeiro havia desistido de contratar o atacante Keké, de 25 anos, após exames apontarem um edema no joelho, com necessidade de cirurgia. Agora, contudo, o negócio teve uma reviravolta, e a Raposa resolveu fechar com o atleta.

Keké fará a recuperação de cerca de dois meses na Toca da Raposa II e terá os salários pagos pelo Tombense até o momento em que estiver disponível para entrar em campo pelo clube celeste. Apesar disso, o atacante será inscrito no BID antes, porque o Cruzeiro deve ser punido no fim do mês pela Fifa e não poderá registrar mais reforços.

O Cruzeiro tem que pagar R$ 7 milhões ao Defensor, do Uruguai, pela compra de Arrascaeta, em 2015, quando Gilvan de Pinho Tavares administrava o clube. Caso não consiga, o clube será impedido de registrar novos atletas. O presidente Sérgio Santos Rodrigues disse que não há previsão para entrada de dinheiro para quitar o débito.

Lane Gaviole, presidente do Tombense, explicou a negociação.

“Ficou tudo acertado. Ele vai fechar com o Cruzeiro e vamos (Tombense) pagar o salário até o fim da recuperação dele. Depois, o Cruzeiro assume. É uma vontade do jogador atuar no Cruzeiro, então nada melhor do que ele ir”, disse o dirigente.

Na atual temporada, Keké entrou em campo 13 vezes e marcou seis gols, todos no Campeonato Mineiro. Ele foi destaque do Estadual sendo o único jogador que disputou o torneio por uma equipe do interior a integrar a seleção do campeonato, divulgada pela TV Globo, que detém os direitos de transmissão. O Carcará terminou a competição em 3º lugar, à frente do Cruzeiro (4º), e atrás de Atlético (campeão) e América (vice).

Na Série C, o atacante disputou apenas um jogo. Ele esteve em campo no empate (1 a 1) com o Paysandu, em Tombos, pela primeira rodada do Grupo A, em 29 de maio. Desde então, não entrou mais em campo. O Cruzeiro corre contra o tempo para conseguir regularizar mais reforços para a Série B do Brasileiro. Neste momento, o clube não tem perspectiva de conseguir os R$ 7 milhões necessários para pagar o Defensor, do Uruguai, e impedir de ser punido com o transfer ban (impedimento de registrar atletas). O valor tem que ser pago até o fim do mês.