Destaques Geral

Após retomada, procura por hospedagem surpreende setor

Por Nathália Araújo / Redação

15 de agosto de 2020

Foto: Divulgação

PASSOS – O aumento na procura por atividades turísticas tem agradado os profissionais do setor, que teve a reabertura dos serviços autorizada recentemente pelo governo estadual. Os municípios da região foram classificados na Onda Amarela do programa Minas Consciente, o que garante o funcionamento dos estabelecimentos. De acordo com as informações da Associação Brasileira de Agências de Viagens de Minas Gerais (Abav-MG), a busca por destinos no interior do estado cresceu cerca de 20% desde o início de agosto.

O que você também vai ler neste artigo:

  • Parque da Canastra ainda está com atividades suspensas
  • Prefeitura constrói praia artificial em São José da Barra

Carlos Alexandre Cardoso, proprietário de uma pousada localizada em Carmo do Rio Claro, conta que está surpreso com a quantidade de pessoas que têm buscado os atrativos da região.

Imaginei que nesta fase de retomada os turistas ainda estariam com medo de viajar, mas as vagas já se esgotaram. Graças a Deus, somos muito privilegiados e vivemos em um local que possui muitas riquezas naturais. Seguindo as normas sanitárias, acredito que em breve as coisas voltem ao normal”, destacou.

À frente de uma pousada e um restaurante em São João Batista do Glória, Carolina Campos Lemos, afirma que seus clientes apreciam a gastronomia mineira.

Já estamos recebendo muitas ligações para reservas e, levando em conta o fato de que as pessoas vêm de diversos lugares, a grande maioria fala sobre a fama da nossa culinária. O que mais servimos são nossos tradicionais pratos mineiros e, principalmente, o filé de tilápia recheado”, contou a empresária.

Em Capitólio, João Ricardo Soares afirma que a demanda em sua pousada também aumentou significativamente e que a região está pronta para receber os turistas.

O pessoal está muito animado e isso é ótimo, até porque estamos respeitando todas as regras e protocolos de distanciamento e higienização, para evitar quaisquer tipos de problema. Agora que voltamos a atender, os viajantes são mais do que bem-vindos”, disse.

Com o intuito de aumentar a segurança dos cidadãos, o Ministério do Turismo divulgou o projeto Selo Turismo Responsável, que assegura aos clientes que o local respeita todas as recomendações dos órgãos de referência em saúde, evitando a disseminação do novo coronavírus. A certificação pode ser adquirida via internet, de forma gratuita, e ainda permite que os clientes verifiquem todas as medidas adotadas pelo estabelecimento. De acordo com as informações da Associação Brasileira de Agências de Viagens de Minas Gerais (Abav-MG),
a busca por destinos no interior do estado cresceu cerca de 20% desde o início de agosto

Parque da Canastra ainda está com atividades suspensas

PASSOS – O Parque Nacional da Serra da Canastra, fechado desde março, ainda não retomou suas atividades, já que a equipe administrativa aguarda um posicionamento do Instituto Chico Mendes de Preservação da Biodiversidade (ICMbio). A informação é de que o Comitê Gestor de Crise está analisando as melhores alternativas para liberar o funcionamento do local, priorizando o cumprimento das ações previstas na Cartilha de Ações Sanitárias.

Ao longo de toda a existência do parque, turistas têm viajado de muito longe para apreciar as riquezas naturais e conhecer as típicas iguarias da região, como o queijo da Canastra e o saboroso café artesanal mineiro. Além disso, na extensão de mais de 70 mil hectares existem elementos pouco explorados, pinturas rupestres e vivem espécies raras de plantas e animais selvagens.

De acordo com a estudante de ciências biológicas Akiany Anderson, todos os anos sua família deixa a capital paulista para contemplar Minas Gerais, mas, desta vez, a pandemia prejudicou os planos.

Sempre ficamos ansiosos pela viagem e não esperávamos a chegada da covid-19. Para nós, que vivemos em um ambiente totalmente urbano, quando sentimos o frescor das cachoeiras é como se estivéssemos em um paraíso. Espero que logo tudo isso passe e as coisas voltem ao normal para que possamos novamente nos reunir nos lindos e aconchegantes chalés”, frisou.

Na área de preservação, existem ainda inúmeras paisagens para fotografias, locais para acampamentos e prática de esportes de aventura. Entre os atrativos mais procurados, estão a nascente do Rio São Francisco, a cachoeira Casca D’Anta, que possui mais de 180 metros de altura, as piscinas naturais e os mirantes.

Prefeitura constrói praia artificial em São José da Barra

S. J. BARRA – A prefeitura de São José da Barra deu início às obras no local que ficará a primeira praia artificial da região, à beira do Lago de Furnas. A área tem cerca de 13 hectares e foi cedida pelo Grupo Itaiquara Alimentos em 2018 – o contrato é válido por mais 18 anos. A extensão fica nas dependências da Fazenda Ponta da Serra, que também é conhecida entre os moradores como Bico da Figueira, e passará a contar com diversos serviços para atender à demanda no local.

A empresa que ganhou a licitação e já está construindo as edificações do atrativo turístico é a Construtora Bueno Eireli Ltda., e o valor estimado para esta fase da obra é de R$ 660,5 mil. O montante será investido em uma portaria, estacionamentos, quiosques, restaurantes, banheiros, píeres de embarcação náutica, playgrounds e espaços para a prática de esportes. O trabalho deve ser finalizado até o fim deste ano.

O prefeito Paulo Sérgio Leandro de Oliveira, o Serginho, esclarece que a equipe administrativa vai trabalhar junto à sociedade para garantir que o projeto se torne uma referência para toda a região.

A criação da praia é um grande sonho, idealizado pela comunidade aqui da Barra. Neste momento difícil que o mundo está enfrentando devido à pandemia do coronavírus, estamos nos preparando para que, quando tudo isso passar, nosso povo tenha mais oportunidades”, contou o gestor.

Antes de o Grupo Itaiquara Alimentos ceder a área para a construção do atrativo, o local havia sido desapropriado. Apesar disso, a empresa aceitou a solicitação do Executivo municipal antes mesmo de ser informada sobre a decisão judicial. Logo que foi firmado o contrato, a prefeitura deu início a um estudo enfatizando as questões socioambientais para analisar como seria o impacto das obras.