Destaques Geral

Após reportagem, pedinte recebe doação de R$100 no pix

Por Ézio Santos/ Especial

29 de Maio de 2021

Foto: Divulgação

PASSOS – Foi questão de horas, depois de tornar pública a notícia de que uma moradora de Passos passou a usar recentemente pix para obter auxílio financeiro, a proprietária da conta começou a receber ajuda. Em um só dia alguém depositou R$ 100 na sua conta. A pedinte, de 34 anos e mãe de três filhos, passa a maior parte dos dias abordando pessoas nas ruas solicitando dinheiro para sobreviver.

Residente no bairro Coimbras, Daniela Cristina contou que na quinta-feira, dia 27, ao verificar o saldo no aplicativo do banco digital, tinham R$ 100 através da forma de recebimento instantâneo criado no final de 2020 pelo Banco Central do Brasil.

Fiquei feliz, porque sempre ganho entre R$ 5 e R$ 10 por dia com o pix. Até assustei quando notei a alta quantia e fui logo ao mercado comprar alimento para meus filhos. Ganhei também R$ 50 em dinheiro de uma comunidade evangélica da cidade. Agradeço a todos que me ajudaram dos dois jeitos e espero receber mais que isso, porque as despesas diárias e mensais são elevadas”, disse contente.

Como mostrou a Folha no início da semana, ela recebeu a ajuda de uma mulher, que se tornou amiga dela depois de sempre vê-la durante as abordagens, e abriu em seu nome uma conta-corrente em um banco virtual, e cadastrou o número do aparelho (35) 99703-9592 como sendo os dígitos do pix. Ela disse que prefere pedir dinheiro nas proximidades de estabelecimentos comerciais com maior fluxo de pessoas, e quando não consegue nenhuma doação na hora, seja moeda ou cédula, imediatamente revela, como opção, o depósito bancário de qualquer valor.

Daniela disse que usa o cartão apenas para compras à vista.

Ele não é liberado para crédito. Vou às compras com o dinheiro vivo e o que tiver na minha conta bancária. Pago aluguel de R$ 300 por mês, compro e tomo remédio controlado diariamente para eu dormir. Recebo mensalmente do INSS R$ 600 e repasso para meus parentes próximos que cuidam dos meus quatro filhos. Que ganho por dia na rua ou com o pix, gasto tudo em alimentação”, declarou.

Por telefone, Daniela confessou que depois da publicação da reportagem desta Folha, dia 27 de maio, recebeu contatos de funcionárias do Conselho Tutelar de Passos e Centro de Referência e Assistência Social (Cras), solicitando a presença dela nos dois locais. “Ainda vou pensar se vou. Tenho medo. Certa vez eles queriam tomar os meus filhos de mim”, justificou.