Cidadania Destaques

Apae presta atendimento de excelência em Paraíso

Por Ralph Diniz / Especial

5 de setembro de 2020

Sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Paraíso atende mais de 320 pessoas. / Foto: Divulgação

S.S. PARAÍSO – Prestes a completar 45 anos de constituição, a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de São Sebastião do Paraíso continua prestando atendimento aos seus mais de 320 usuários, mesmo durante o período de pandemia do novo coronavírus. De acordo com Ademar Paschoalino, administrador da instituição, durante os meses de pandemia, os atendimentos presenciais aos usuários são realizados individualmente durante quatro horas diárias, com todo o aparato de prevenção recomendado pelo Ministério da Saúde. Além disso, em alguns casos específicos, os especialistas da entidade têm realizado atendimento online.

O trabalho feito pela Apae de Paraíso – fundada em dezembro de 1975 – é considerado modelo em todo o Estado. Além dos assistidos que residem na cidade, a unidade atende pessoas dos municípios de São Tomás de Aquino e Jacuí e, também, moradores dos distritos de Guardinha e Termópolis. De acordo com Paschoalino, a equipe multidisciplinar conta com profissionais das áreas de fisioterapia, fonoaudiologia, psicologia, nutrição, terapia ocupacional, psicopedagogia, e assistência social.

Os fisioterapeutas realizam atendimentos individuais e em grupo, contando também com a hidroterapia para habilitação e reabilitação dos assistidos. Na fonoaudiologia, os trabalhos têm como objetivo diagnosticar, prevenir e tratar transtornos na fala e escrita. “Atuamos também com a linguagem de sinais e estamos habilitados para realizar exames de audiometria, orelhinha e Bera”, explicou o administrador.

Na área de psicologia, a Apae oferece assistência visando trabalhar os aspectos cognitivos, emocionais e sociais, proporcionando autoconhecimento, autoestima e independência pessoal. Em relação à terapia ocupacional, a equipe promove um trabalho motor sensorial, “favorecendo o brincar por meio da intervenção precoce. Já na psicopedagogia, os profissionais desenvolvem ações de coordenação, percepção e memória, fundamentais no processo de aprendizagem”, completou Paschoalino.

A Apae de Paraíso conta, na área de assistência social, com os projetos “Escola da Família” e o “Plano de Atendimento Familiar”, que aproxima parentes e amigos dos assistidos da entidade. Por fim, os nutricionistas se dedicam, entre outras coisas, à “Cozinha Experimental”, um projeto que busca a autonomia e qualidade de vida dos usuários na família e na comunidade.

Também possuímos um centro profissionalizante de produção de sorvete, tendo finalidade de capacitar habilidades e atitudes laborais, gerando oportunidades para o mercado de trabalho”, disse Ademar Paschoalino. Os usuários da Apae de Paraíso também têm atendimento médico neurológico, ortopédico e odontológico dentro da sede da entidade.

Além dos recursos oriundos do poder público, o administrador da instituição relatou que a entidade se mantém pela solidariedade da população paraisense.

A Apae faz todos esses atendimentos em saúde e dá apoio ao usuário e com deficiência intelectual ou múltipla, bem como assistência as suas famílias, graças a todos os nossos parceiros”, concluiu Ademar Paschoalino.