Destaques Geral

Acip espera aumenta nas vendas com o Dia dos Namorados

5 de junho de 2021

A data deve gerar R$ 177,6 milhões no estado; Floriculturas estão com expectativas baixas

PASSOS – O Dia dos Namorados, uma das principais datas para o comércio no primeiro semestre do ano, deve movimentar o comércio de Passos e cidades da região. De acordo com Creide Pereira de Souza Ponçansini, vice-presidente da Associação Comercial e Industrial de Passos (Acip), os casais, mesmo com a pandemia, não deixam de comemorar o Dia dos Namorados.

“A expectativa é sempre positiva. Mesmo diante deste momento de pandemia, os casais não deixam de comemorar esta data tão gostosa, romântica e importante. Penso que a venda de presentes será bem positiva, mas devido às restrições do decreto de horários e outros, muitos comemorarão em casa”, afirma.

Segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a data deve movimentar cerca de R $1,8 bilhão no país, apresentando uma alta de 29,4% comparado ao mesmo período do ano passado. Em Minas Gerais, a expectativa é de que gere R $177,6 milhões.


Pandemia diminui expectativas de vendas em floriculturas de Passos

Um dos presentes mais procurados no Dia dos Namorados são flores, mas, devido à pandemia do novo coronavírus, as expectativas de vendas das floriculturas de Passos não são positivas.

Para Daniele Cristina Barbosa, proprietária de uma floricultura na cidade, as vendas vêm diminuindo desde o começo da pandemia.

“Olha, geralmente, todos os outros anos a expectativa é bem boa. Porém, esse ano nós estamos mais receosos, mas estamos nos preparando. Ano passado, as vendas foram bem menores, comparadas a 2019”, contou.

De acordo com Patrícia Garcia Silva Santos, também proprietária de floricultura em Passos, os estabelecimentos estão passando por dificuldades por causa dos decretos municipais.

“Para nós, floricultura, não é uma expectativa muito legal. Nós estamos com uma dificuldade muito grande quando sai decreto porque no Minas Consciente foi colocado que a floricultura não é um serviço essencial. Com isso, não podemos abrir. Eu abro, porque estou dentro da lei que prevê floricultura como parte do agronegócio e está classificado como frutas, legumes, verduras e flores, sendo um serviço essencial. Então, acredito que este ano as expectativas são baixas. Porque as pessoas aqui em Passos não tem costume de comprar com antecedência”, explicou.

Segundo a Portaria nº 135, de 20 de março de 2021, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a produção e distribuição de alimentos, flores, plantas ornamentais, bebidas e insumos agropecuários e a comercialização de insumos agropecuários, medicamentos de uso veterinário, vacinas, material genético, suplementos, defensivos agrícolas, fertilizantes, sementes, mudas e produtos agropecuários, dentre os quais flores e plantas ornamentais, são considerados serviços essenciais.