Destaques Moda

A moda 4.0

POR WAGNER PENNA / Especial para a Folha

18 de janeiro de 2021

Fashion + tech: a moda versão 4.0. / Foto: Divulgação

Os movimentos que a moda faz para se integrar no perfil do novo momento econômico são variados. No plano dos avanços tecnológicos, um dos principais pontos buscados é o aperfeiçoamento de técnicas que levem a um melhor desempenho da vestimenta. Tecidos que captam e difundem informações sobre saúde do usuário, medidas aferidas por robôs, maquinas que cortam eletronicamente e até dobram peças são novidades. É a chamada moda 4.0

No plano comercial, o vendaval do coronavírus também provocou mudanças – a maior delas foi o crescimento exponencial do e-commerce no setor. No plano conceitual, entretanto, esse avanço despertou o interesse das próprias marcas em ter seu novo canal de vendas online – em vez de ter acesso através de marktplaces multimarcas. E também fazer algo mais próximo ao cliente e se afastar da roupa-commodity. São duas evoluções que irão mexer com o circuito fashion nos próximos anos e que forçarão um novo posicionamento da moda made in Brazil.


VAIVÉM

O inverno 2021 começa no circuito da moda made in Minas, no circuito de Beagá. Quem lança o seu nesta semana é a grife Iorane Rabello, sob o tema ‘Believe in Magic’. Outra que mostra suas novidades é a Anne Fernandes, com sua mais recente coleção resort, encerrando oficialmente sua temporada de verão 20 21. A grife é comandada pelas irmãs Luciana e Anne Fernandes – que, aliás, estão fazendo tremendo sucesso com seus looks no Instagram.

Enquanto isso, o mês de fevereiro será aberto pela Skazi com o lançamento da SClub no dia dois – com direito a flashes virtuais. Na mesma data será o lançamento da TD (marca de pronta-entrega da Tufi Duek, agora sob gestão do grupo Skazi). Como se vê, a moda se movimenta.


PONTO FINAL

Com a segunda onda do vírus invadindo a Europa (mais o vírus mutante inglês) as semanas de moda de Paris (masculino e alta-costura) tiveram seus desfiles presenciais cancelados. Como na estação passada, tudo será via internet. Até a ótima exposição sobre os 50 anos de morte de Chanel, agora só poderá ser acompanhado virtualmente.