Destaques Geral

Fuzileiros navais treinam em Furnas

Por Ézio Santos / Especial

25 de outubro de 2021

Foto: Divulgação.

S. J. BARRA – O Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil promove de hoje até o próximo dia 31 um treinamento com cerca de 200 militares Fuzileiros Navais em um Exercício de Operações Ribeirinhas. A equipe de oficiais de uma das instituições das forças armadas do Brasil esteve recentemente em São José da Barra (MG) definindo os últimos detalhes sobre o evento com o prefeito e vice, Paulo Sérgio Leandro de Oliveira e André Luiz Lemos da Silva, respectivamente.

De acordo com o capitão-tenente fuzileiro naval, Rafael Oliveira Rosback, que é o oficial de Operações do 1° Batalhão de Infantaria de Fuzileiros Navais, no vocabulário da corporação e popular também, a presença do Exercício de Operações Ribeirinhas da Marinha do Brasil em São José da Barra visa a adestrar a capacidade de realizar uma operação ribeirinha, que tem o propósito de obter e manter o controle de parte ou toda uma área, que pode ser caracterizada pela existência de extensa superfície hídrica, como por exemplo a represa da Usina Hidrelétrica de Furnas.

“Além disso, também adestramos a capacidade expedicionária de uma tropa de fuzileiros navais, tal qual previsto na Estratégia Nacional de Defesa, visto que será necessária a utilização de meios para transporte do efetivo por mais de 600 quilômetros, entre a cidade do Rio de Janeiro e São José da Barra”, complementou.

O treinamento contará com a participação de cerca de 200 militares no exercício, dentre oficiais e praças. Os adestramentos de Operações Ribeirinhas serão realizados, principalmente, na região da Prainha, mas o capitão-tenente afirma que não teremos efetivamente uma base no interior da zona urbana, mas sim, uma base de treinamento na região da Prainha, e uma de apoio nas imediações da Delegacia Fluvial de Furnas (DelFurnas), localizada na antiga vila residencial da usina hidrelétrica.

Dentre as instruções a serem aprimoradas, Rosback contou que pode exemplificar os de orientação fluvial e de batimento de margem, permitindo ao fuzileiro naval, depreendendo as características fluviais regionais apresentadas, guiar e proteger o deslocamento de um navio por uma determinada região.

“Ademais, podemos citar o de métodos de abordagem ao local de desembarque ribeirinho utilizando as Embarcações de Transporte de Tropa (ETTs) e os Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf), o qual permite que o fuzileiro possa projetar o seu poder da via fluvial, saindo de um navio, para a parte terrestre adjacente”, explicou.

Outro principais armamentos e equipamentos a serem utilizados no exercício, individualmente, cada militar carrega um fuzil de assalto M16A2 5,56mm; coletivamente o uso de embarcações de transporte de tropa, ETT, e de blindados anfíbios, CLAnf, com um peso aproximado de 22 toneladas. Rosback comentou que a maioria das instruções será eminentemente prática. Os adestramentos abarcam atividades desde a manhã do dia 26 até a manhã de 30 de outubro, e serão realizadas manhã, tarde e noite, aproximadamente 14 horas diárias.

São José da Barra foi escolhido para sediar o treinamento em virtude da extensa área fluvial existente na região, resultado do lago de Furnas, e pela segunda vez, acontece na região Sudoeste do Estado. O primeiro ocorreu em 2020. O capitão-tenente revelou que na região, somente um exercício é realizado durante o ano, e o 1° Batalhão de Infantaria de Fuzileiros Navais, Batalhão Riachuelo, ao qual a maioria dos militares pertence, é localizado no município do Rio de Janeiro (RJ).